28.10.02

fui no centro resolver o lance do meu passe fácil (que de fácil não tem porra nenhuma) e acabei indo assistir filminho no teatro do parque por 1 real. é uma maravilha aquele lugar. além de ser um belíssimo teatro, depois da reforma e do ar condicionado super dez ele ficou fera. e, porra, 1 real por filmes que tavam no multiplex há um mês. trimmmassa.

mas o parque já teve seus momentos de sofrimento. na época em que as cadeiras eram de madeira e as portas ficavam abertas por conta do calor e as muriçocas aproveitavam o embalo para comerem as pernas dos desavisados que foram de bermuda era foda, mas eu não deixava de ir nem a pau. e era uma espécie de ponto de encontro dos mesc da cidade e dava pra encontrar uns conhecidos e tomar uma cerva nos botecos da frente. ahn, foi lá que eu comecei a namorar com mateus cabeça de ovo, um dos meus namoros de 3 anos. mas isso é papo prum outro post.

bom, o parque era legal. aí passou por uma reforma que durou muito, muito tempo. todos tiveram paciência e nem lembro quanto tempo faz que ele voltou a funcionar com esse chiquê todo. pronto, aí hoje aproveitei a ida no centro pra ver o que tivesse passando lá. monstros s/a, hehehe. é bem legalzinho, daquele tipo de desenho que tu fica com lagriminhas no final. e o cinema tava cheio de pirralho. mas o pior: quem enchia o saco não eram eles, eram as mães. "ai, aquele siclano é muito chato. já viu o cabelo dele? parece que trocou por uma estopa!" bom, é o preço que se paga por ir a um cinema popular. mas se bem que esse tipo de comportamento tem também nos cinemas onde se paga 12 reais pra entrar, então eu sossego. falta de educação tá em todo canto.

e semana que vem soube que vai passar lá cidade de deus que eu - perdão, gente - não vi ainda. bom, pelo menos pagarei 1 real.

Nenhum comentário: