26.10.02

a noite de ontem tinha tudo pra ser ótima, exceto por um detalhe bem importante: o que eu comi naquela tarde. na verdade, nem eu mesma lembro mais. sei que comi um mcnuggets agorado, depois de esperar bem uns 15 minutos no caixa pra saber que a cozinha não tava nem sabendo do pedido. filhos da puta. pois. tive, dessa vez, o meu problema mais sério com comidas estranhas (vide mcdonalds). tudo começou com a caganeira básica que sempre tenho depois de comer no tio ronald, ainda à tarde. normal, se eu juntar isso à minha suspeita de amebíase (ou giardíase, heheh). bebi minhas cervas lá no arco-íris, onde teve show da mombojó e tal e coisa e onde os gatinhos que a gente paquerava tinham em torno de 11 anos.

mas lá pelas duas da madrugada eu comecei a sentir um vazio no estômago. supus ser fome. a essa hora eu tava em outra festa, na despedida de faccenda. não havia nem rastro de comida por ali, nem num raio de 500m. fui solucionar meu problema com uma lata de coca, que creio ter sido a causadora mor do meu problema. comecei a sentir como se a coca não tivesse digerido, como se tivesse ficado para sempre no meu estômago, como um sopão. aquela náusea absurda chegou num ponto tal que eu precisei forçar pra chamar o raul. vomitei - água pura - e a coisa não passou.

foi quando tive a brilhante idéia de ir pra casa de flávia tentar arriar o barro. supus que meu mal estar era cocô, ainda. cheguei lá e nada do barroso sair. mas vomitei ainda mais, até a tal da bile. aí tive que ligar para a genitora. fomos pro hospital e, como eu havia suspeitado, o médico disse que talvez se trate de uma amebíase (ou giardíase, hehe), mas que eu precisava fazer os exames pra ter certeza. e não descartou a hipótese de ser algo gástrico TAMBÉM. falou até em fazer uma endoscopia. ai jésus. lembro bem da supressão de café, refrigerante e bebidas quentes por um tempão quando tinha crises de estômago na sétima série. foi ruim. eu tomo café todo dia e coca cola às vezes eu até substituo por água. não, não vou ter nada no estômago, eu tenho certeza.

bom, o fato é que eu fui tomar soro com DRAMIN na veia. o tal do dramin é aquele remedinho que a galerosa que viaja longas distâncias de busão toma pra poder dormir. eu já tava com sono. mas a única coisa que o remédio deu, durante os 40 minutos que fiquei com aquele troço enfiado na veia da MÃO, foi uma sonolência estranha, acompanhada de breves e intensos cochilos, nada mais. eu não conseguia ficar de olho aberto, mas também eu não dormia. eu tremia de frio e nervoso, tava fraca pra caralho, daria tudo por um pratão de feijoada bem gordurosa. finalmente o bregueço terminou e pude ir pra casa. já ali no derby, comecei a sentir um enjôo inexplicável, já que a porra do dramin é justamente pra evitar enjôo, ânsia de vômito, essas coisas. aí a pressão caiu. aquela coisa toda que eu já sei, a visão turva, sem ouvir quase nada, tudo ao redor salpicadinho com pontinhos amarelos, uma viagem. e suando pacaralho. pedi pra mami parar o carro, queria vomitar. mas bastou eu deitar no colo quente da véia que passou.

ruim isso tudo, né? pois é. mas nem perdi muita coisa. a festa tava quente demais, o som tava a desejar, ao contrário do que eu imaginava e as perspectivas de dar beijo de boca vão ficando meio escassas quando se aproxima da alvorada.

amastarde tem aniversário de sil e eu pretendo muito ir, nem que seja pra ficar na agüinha e torradinha. agora eu vou ali comer o meu MINGAU DE CACHORRO pra ficar fortinha. tou me sentindo uma bandeira do lula em plena avenida boa viagem. querem a receita pro mingau de cachorro? nunca se sabe quando alguém vai precisar. e é um ótimo remédio pra ressaca:

MINGAU DE CACHORRO (também mundialmente conhecido por todos os seus familiares como cabeça de galo):

1 tomate (com tudo, fronha, semente e pele. seje homem)
1/2 cebola (ok, aqui pode ser sem a casca)
alguns galhos de coentro
cebolinho
salsinha
uma colher de manteiga (não muito cheia. gordura não muito indicada no meu caso)
1 ovo
farinha de mandioca
sal a gosto

corte todas a verduras em pedaços sumários e jogue tudo numa panela média. ponha a manteiga e refogue os bregueços. quando a cebola tiver bem molinha e o tomate se desfazendo, jogue água. a quantidade de água eu não sei, vai depender de quanto mingau tu quer, arigó. deixa tudo ferver. quando tiver borbulhando, jogue o ovo dentro. sim, do jeito que o ovo ficar deixe e não mexa. não agora. pronto, agora que o ovo virou uma coisa amorfa e consistente, pode mexer. agora tu vai acrescentar a farofa AOS POUCOS pra não emboloar. isso, aos pouquinhos e sempre mexendo. sim, isso é um pirão então a farofa vai do mesmo jeito do pirão do chambaril, que infelizmente eu não posso nem sentir nem o cheiro senão meu estômago salta. continue mexendo até você perceber que a farofa se uniu direitinho com a água. pronto, você tem um pirão revigorante e gostoso.

Nenhum comentário: