31.7.02

como assim, bial?
para o alto e avanti.




nossa sinhora, essas capas tão muito maneiras. quero tooodos esses discos. todos!
menino, isso tá ficando sério. preciso dar um chega na ingreja pra conhecer a tia nossa senhora.
errata: acabei de saber pelo menino márcio padrão que quem ganhou o oscar não foi amélie, foi o próprio terra de ninguém.

/me não assiste mais a essas festividades hollywoodescas.
ontem fui ver terra da ninguém, do bósnio danis tanovic, aquele filme que concorreu do oscar de melhor filme estrangeiro e perdeu pro fofo amélie poulain. mas faltou energia no cac nos primeiros 20 min. aí foi aquela festança no escuro: o meninos tocando piano no auditório e daniel, o exterminador do futuro, filmando tudo. eu, coincidentemente, havia comprado um walkman bem pequenininho naquela tarde, desses de 5 real no camelô, transparentinho, menor que a palma da mão da gente. ele tem uma luzinha, que descobri ali pra que serve. foi extremamente útil naqueles minutos à espera da luz. hehe, ainda pus na boca e brinquei de sabre de luz. a luz não voltou. todos foram embora.

e hoje me inscrevi no curso de francês. começa terça. ê. e hoje é meu último dia aqui no estágio. ê. amanhã começo outro. ê.

29.7.02

acho que ninguém sabe do meu ódio mortal por flanelinhas né? tem também meu ódio por meninos de sinal que lavam vidros de carros, mas esse é assunto prum outro post. pois bem, eu odeio flanelinhas. agem como se fossem os donos da rua, cobram os olhos da cara pra gente estacionar numa rua que também é nossa, porque pagamos impostos (ainda não pago, mas não sonegarei), muitas vezes nem olham os carros e se você insistir em negociar ou não quiser pagar o que eles pedem, arranham seu carro, furam o pneu ou arrombam a porta.

sábado eu fui na casa de carla, namorada do rafa. ela mora na rua do hospício, no centrão mesmo do recife, onde mais se concentra o comércio informal, sempre muito carro passando e tal. é na rua do hospício também onde fica o teatro do parque e muitos botecos. bom, sábado foi dia de peça lá e do terceiro andar daquele prédio fiquei observando o desempenho desse espécime chamado flanelinha. havia um gol desses velhos e quadrados estacionado e um espaço razoável atrás dele. o flanelinha chamou um colega e começou a tentar empurrar o gol, que, notavelmente, estava no freio de mão. eles levantaram o carro. levantaram. cês têm idéia disso? sim, eles tiraram o pneu do carro do chão. incrível essa luta toda por no máximo 3 reais. o pior foi que depois desse trabalho todo, não cabia ali um carro com muita facilidade. chegou um carrão que fez a baliza mais demorada da história. mas entrou. no final, tinha menos de um palmo na frente e atrás. um tempinho depois, um dos flanelinhas começou a se barbear no espelho de um dos carros. meu deus, o que leva uma pessoa a se barbear no meio da rua e ainda por cima no retrovisor de um carro? no final, rolou uma briga, não sei bem porque, mas quase rolou uma porradaria num deles, pelo menos uns 6 caras correndo atrás de um só. acho que aceitou que pagassem mais barato pelo "estacionamento" e a turma desceu o sarrafo no pobrezinho. triste.

é muito desaforo. outro dia eu tava na rua do bom jesus e um menininho se ofereceu pra engraxar os sapatos de beto. era um coturno tão fodido, mas tão fodido que não valia a pena tanto esforço. eu resolvi dar umas moedinhas pro menino, só de agrado. e não é que o menino me olhou com cara feia porque eu dei moedas pra ele? dei um "ahhhh, palhaço!" pra ele e mandei ele ir à merda.

28.7.02

o parada é um gajo assim muito meigo:

Eu gosto de minininhos, sabe. Só por diversão enquanto escuto mp3 e tomo litros de suco de lima, fiz rápido aqui uma lista das menininhos mais ngatas que me lembro até agora. Lá vai a lista. Oh hohoho: a Fernanda Takai, a Soninha, a Cecils, a Bjork, a Mari e a Cibele. Hm, tem mais. Ok, tá bom. Um abração pro marido de todas. Depois faço a lista das voleibol girls. Hrhrhr, aaai ai.

adorei a homenagem :*.

e agora tou aqui com um disco de meditação que a binha bãe pediu pra eu gravar num k7. e tou gostando, ah lá.

26.7.02

noite chuvosa. cama mais cedo. e amanhã preciso adiantar algumas coisas do meu projeto de graduação.

eu preciso de um orientador. meu co-orientador será o edufo, caso ele ainda ache que eu sou uma boa menina e ainda queira me ajudar nessa empreitada.

tio edufo, estou caminhando, na medida do possível, com o projeto. ainda tou sem material pra analisar e bibliografia pra pesquisar. não ache que sou uma aluna relapsa. beijos, cecils.
eu gosto de acordar com voz grave e cantar madonna.
pois é. ontem fui com flávia, aninha e ana cecília no show do dj patife. foi legal, o cara manda bem no drãmembeiss. dancei muito, muito, muito, tanto que pé ficou latejando e eu não pude curtir direito o dj britânico duv. mas foi legal apesar do nojo que é aquela fashion club. só tinha playboy daqueles nojentos mesmo ali dentro. tipo, qualquer mulher, bastou fazer sombra e mijar de cócoras, pode arrumar um macho ali. é só fazer um charminho. podridão mesmo. uma colega minha foi pedir um cigarro a um cara e ele, mesmo não tendo, foi tentar conseguir pra ficar rebolando pra ela. eca. mas valeu a noute, apesar de tudo.

terminamos a noite lanchando num select e recebi uma proposta um tanto inusitada: ser apresentadora de um programa sobre quadrinhos, numa tv comunitária da cabo mais. mas assim: o que levou esse meu conhecido (não sei nem o nome dele) a me ter como indicada pra esse tipo de serviço? eu disse a ele que não sabia, que era tímida demais pra apresentar um programa, ainda mais na tv e perguntei quem eram as outras meninas indicadas (e por que tem que ser menina?). daniela brilhante, a menina que tem um mickey feio tatuado nas costas, entre outras aberrações, e irma, uma menina do teatro, mas que, segundo ele, não saca nada de quadrinhos. fiquei me sentindo a expert em quadrinhos. isso deve ter sido coisa de mateus cabeça de ovo, a tal da indicação. bom, de qualquer forma, o cara disse que eu tinha até agosto pra pensar. que cês acham? só de pensar me dá uma vergonha terrível. acho que só aceitaria bêbada.

24.7.02

tenho trabalhado feito uma mula nessa minha última semana na chesf. resolveram pegar no meu pé, já que tou saindo. tou achando é ruim, nunca faço nada mesmo. e depois, com esse lance de rastrearem as páginas da internet que a turma anda entrando por lá, ninguém mais pode entrar com login de ninguém na rede. quando não tem nada pra fazer, leio qualquer coisa que aparecer na frente, só pra matar o tempo. ou vou no banheiro espremer um cravo.

vou amanhã pro show do dj patife, na fashion club. como o nome já diz, o lugar é uma bosta. quer dizer, minto. o lugar é massa, mas tudo é caro, só vai boy e o som é sempre um cu. mas tou a fim de ver o dj patife, que eu perdi no carnaval, não sei por que cargas d'água. eu tive um acesso de preguiça naquele dia e não consegui me levantar da cadeira onde eu tava sentada na rua da guia. e era ali do lado, na rua da moeda. simplesmente não consegui. era mais forte que eu. eu sabia que tava na hora de ir anadando mas comecei a pensar no gererê que poderia estar (e estava mesmo) então deixei a preguiça, essa senhora gorda e grudenta, me consumir.

ainda trabalho muito amanhã mas, me desculpem, não terei condições de ir na sexta. provavelmente beberei bastante antes de entrar no show, num posto que tem em frente à fashion, cuja cerveja, há exatamente um ano atrás, durante o ndesign em recife, custava R$ 0,78 a lata. skol. maravilha. deve ter dado uma inflacionada, mas tudo é melhor que pagar 4 pilas por uma vodca frozen.

22.7.02

pronto, estou de volta. garanhuns (que eu nunca tinha ido) é uma cidade muito fera. pequena, pra todo canto que você vai é a pé, friozinho de dia com um solzinho de leve. muito engraçado é ver o pessoal do recife por lá. é fácil de se reconhecer; se tiver alguma menina de vestido riponga com LUVAS pode ter certeza que é recifense. ou gente de sobretudo. ê, matutagem! passei um bom frio lá de noite. apesar da temperatura ter variado entre 18 e 15 graus, ventava bastante o que aumentava muito o frio. no fim das contas, fiquei com as bochechas e o nariz vermelhos de tanto frio.

o balanço do festival foi positivo, não pelos shows, mas pelo conjunto da obra. vi bons shows, como o do mundo livre s/a e cordel do fogo encantado, mas o local tava com um clima muito legal, o que melhorava as coisas. tinha coisas pra se ver, vinhos e chocolates e o friozinho pra curtir. isso é muito importante pra quem vive no verão o ano todo.

a casa onde fiquei era uma atração à parte. uma casa minúscula, construida pela proprietária de qualquer jeito. num dos quartos só cabia a cama de casal. muito estranho. sem falar que o quarto maior tinha uma porta que dava pra a cozinha. e a sala era menor que o quarto que só cabia a cama de casal. some isso a 20 adolescentes querendo curtir uma semana sem os pais, gritando de madrugada e tocando um violão completamente desafinado. me senti a própria tia chata, eu, flávia e beto. éramos os malvindos, os chatos velhos e sectários. como na esquina da rua tinha uma espécie de fliperama com videogueimes (como se chama essas casas que têm videogueimes e você paga pela hora?) e uma mesa de sinuca, ficávamos lá todo dia depois do almoço. nunca imaginei que fosse tão legal jogar sinuca.

pra completar a festa, ainda chegaram duas gringas na casa, uma alemã e uma suíça, que farão intercâmbio no recife. como a "irmã" de uma delas tava em garanhuns, elas foram pra lá também, assim que embarcaram no recife. pense o que é as meninas exaustas depois de sei lá quantas horas de viagem, viajar mais 4h horas num ônibus, arriar de qualquer jeito num colchão no chão com um monte de gente gritando na casa e passando por cima dos colchões e no outro dia não ter água pra tomar banho. trash. mas é bom pra elas, são novinhas e é legal passar por esse tipo de situação de vez em quando.

voltei domingo pro recife e fui direto pro recife antigo ver as "pérolas negras" milton nascimento, luciana melo e jorge benjor. perdi milton, mas o show de jorge ben foi uma merda. tipo, o cara é foda mas sempre toca em show as piores músicas dele, essas coisas mais recentes, chove chuva e teteteretê. não tive saco. o show foi igual ao que teve aqui no carnaval desse ano.

17.7.02

que fonte feia do caralho eu sou. deve haver algum erro:


test yourself at fontlover.com!

16.7.02

viajarei amanhã pra garanhuns pra sentir um friozinho e assistir aos shows do festival de inverno. até domingo estou fora.

até lá. vou ali comer meu brigadeiro aditivado.

13.7.02

acabei de saber que ficarei de babá das minhas irmãs raquel e lalu hoje à tarde. legal.
nossa, o claudinho, amigo do buchecha, mórréu.

12.7.02

aê, email oficial da titia aqui: cecils@uol.com.br. os outros continuam como amantes, mas a matriz é essa.

11.7.02

grazi, mudei as cores por você :*
pra que tanto ódio nesse coraçãozinho? tudo bem, eu sei que no fundo, lá no fundinho mesmo, até os que odeiam meuqueridodiáriorosadahellokitty, todos querem aparecer. e cada um arruma a forma que lhe convém. respeito da mesma forma quem quer contar que depilou a xereca num blogue e quem destila seu ódio aos blogues num blogue (maldita ironia!). amo todos vocês.
apelo:

quem for fanzineiro ou tiver fanzines que possa xerocar e mandar pra mim será uma grande ajuda pra eu começar meu projeto de graduação. links de fanzines mandem também. maiores informações em pvt.

ajudem essa pobre criança a se formar.
assiti ao Dogma V, italiano para principiantes, ontem de noite e nem sei bem porque ele está junto dos outros filmes desse, ahn, movimento. acho que de igual só as filmagens pebas e, às vezes, a falta de iluminação artificial. é o mais povão dos Dogmas. a própria história é bem bobinha, com final feliz e tudo. mas eu gostei, deu pra arrancar umas boas risadas. porque cinema ainda é maior diversão.

depois fui com flávia tomar umas cervas no burburinho e foi bem legal, deu um déjà vu feladaputa de um ano atrás: bar do metal + radiola de ficha + madonna. era legal aquela época jogada, em que eu saía e bebia todo dia, apesar da estragação que me deu. passou, normal, mas pensando bem era legal acordar com dor de cabeça no dia seguinte e mesmo assim ir trabalhar.

10.7.02

mudei de novo essa bagaça.
eita, que massa! soube agora, lendo o jornal, que tá passando o Dogma V, italiano para principiantes. assistirei.
assiti ao 4° filme do Dogma 95, o rei está vivo, de kristian levring. é bem bacana, como todos os outros que vi (os idiotas, festa em família e mifune) e segue à risca a cartilha do dogma: nada de efeitos plásticos, sem cenário, figurino básico, sem iluminação artificial, essas coisas.

o filme começa num ônibus, onde dá-se a entender que um avião quebrou-se e as pessoas tiveram que chegar a seu destino daquela maneira. o motorista mesmo não sabia direito onde estava mas havia uma bússola que o orientava, então tudo bem. foi quando, após andar uns 700km, alguém percebeu que a bússola estava quebrada e que eles andaram esse tempo todo na direção errada. notaram, também, que o ônibus estava sem gasolina. foi quando pararam o carro num local que parecia ser um vilarejo no meio do deserto, mas não havia nada nem ninguém, só umas casas abandonadas e umas cenouras enlatadas, algumas envenenadas, ou estragadas. havia, também, um ermitão, um velho que parecia estar ali a vida toda, sentado, observando tudo. esse velho parecia aquela figura sábia, que conhece todos os segredos do deserto e que observava o declínio dos forasteiros com um certo ar de superioridade, como quem dissesse "ih, a lá", mas ao mesmo tempo não entendia lhufas do que eles falavam. o mais interessante é que quando a visão do filme se voltava pra ele, tudo ficava fora de foco. bom, não tardou pra perceberem que nunca sairiam dali vivos e pro egoísmo aflorar nas pessoas. foi quando surgiu a idéia de encenarem a peça rei lear, que veio a calhar perfeitamente. e assim segue o declínio físico e psicológico dos personagens cada vez mais agudo, culminando com a morte.

8.7.02










The B-Movie That Suits Me Is:


Flesh Gordon: In the 70's 'big

budget' porns were all the rage.

These hybrids combined b-movie sets

and scripts with humpalicious action,

while not hardcore like modern stuff.

The ultimate was Flesh Gordon, now

regarded as a comedy.





Find out which b-movie suits you.


7.7.02

desde sexta feira eu tava a fim de comer um sanduíche com tomates secos na come-come, uma lanchonete daqui do recife. não tinha tomates secos na sexta, acabei comendo outro sanduba. ontem fui visitar júlia, a filha de sil que nasceu há pouco mais de um mês e depois fui na mesma lanchonete comer o sanduíche com tomates secos. missão cumprida.

rolou um lance lá no pátio de são pedro com cinco bandas, exibição de curtas e um desfile de muoda. foi legal pra caralho, principalmente a última banda, que até esqueci o nome. o vocalista é um carinha que produziu discos do Fugazzi e Helmet, então já ganhou meu respeito. mas a presença de palco dele é tão forçada que eu só pude rir mesmo. uma hora lá ele começou a desabotoar a calça e pegou um manequim desses de isopor e colocou na frente, o que não impediu que sua bunda branca e flácida aparecesse pra geral. mané. mas mais hard core que ele foi o segurança que tava embaixo vendo o show. ele subiu na beira do palco, desceu a calça e mostou sua banda, que ao menos tinha cabelo e ainda deixou que aparecesse um pouco das suas bolas. botou o gringo bicha no chinelo.

mas o resto da noite foi legal. na nova soparia ali tocou três hits de diana além do mambo silvestre que tava rolando antes. e, de lambuja, os bêbados mais legais do universo se concentram sempre no pátio de são pedro.

pra terminar a noite, tive uma triste dor de barriga ao chegar em casa, às 5h da manhã, e perceber que tudo foi por causa do tão desejado sanduba com tomates secos. tou até agora pintando a porcelana e sem perspectivas de melhoras. espero não morrer, mas se isso vir a acontecer, não esqueçam de alimentar xampu.

2.7.02

finalmente minha camisa ME LEVE A MAL da sensifer chegou.

uma pergunta: quem roubou o link dos comentários?
é, ando meio sumida. desde lá, muitas cousas aconteceram: o brasil já foi penta, já bebi todas, minha melhor amiga voltou da inglaterra depois de nove meses morando lá. trouxe até presentinhos meigos. uma bolsa linda de vaca, trazida da holanda. um brinquedinho daqueles que são uma caixinha de plástico com bolinhas metálicas pra você colocar nos buraquinhos (entederam?), só que o detalhe dos lagartos de escher que (infelizmente flávia errou) não são os mesmos da minha tattoo, mas valeu a intenção. e também um poster do tournée du chat noir. e ainda fomos comer um cheddar que ela tanto ama e que não come há nove meses. foi quase a emoção de um parto. é, amiga é pra essas coisas, ir comer cheddar e pagar.

mas a coisa mais interessante desses dias aconteceu hoje. na disciplina "o uso da linguagem gráfica no ambiente educacional" a gente tem que visitar umas escolas e observar tudo relacionado com a linguagem gráfica (pictogramas, cartazes escritos, os próprios livros didáticos e paradidáticos que a criançada usa, a sinalização da escola). pra facilitar as coisas, foram escolhidas escolas da várzea (bairro próximo à cidade universitária). as escolas particulares estão de férias mas as municipais passaram muito tempo em greve, então a pirralhada tá em aula, ainda. lá vamos para a escola designada para nós. dizia que era várzea, mas acho que foi o lugar, dentro do recife, mais longe que já fui. pegamos dois ônibus e descemos no terminal do segundo. um fim de mundo. mato pra todo lado. imaginei quantos presuntos não tinham pelos matos abaixo. bom, finalmente a escola, depois de mais de uma hora dentro de ônibus.

tudo era engraçado, a começar pela sinalização. toda a sinalização, placas de banheiros, cozinha, sala dos professores, biblioteca era do mesmo jeito: um papel com o nome do recinto escrito a mão e com flores feitas naqueles papéis laminados. tudo era igual, inclusive os ícones do banheiro, cuja única diferença era o "o" de meninos pro "a" de meninas. péssimo. mas o mais engraçado de tudo foi o cartaz que tinha no laboratório de informática:

O CHÃO DA NOSSA SALA ESTÁ DE REGIME, FAVOR ENGORDAR SOMENTE A LIXEIRA.

achei o máximo.