30.9.02

adivinhem de onde eu acabei de chega-ar? da academi-a! direto pra esteira, 30 minutos andando sem sair do lugar, vendo a novela das seis. maneiro, teve uma cena legal. a moça prende o salto na tábua de um lugar que eu creio ser uma boate de novela, daquelas em que as pessoas dançam mais rápido que a música que tá tocando e alguns fazem passinhos como se estivessem num musicalda broadway. ok, a moça prendeu o salto agulha na tábua do chão do recinto e, na tentativa de tirá-lo, o sapato VOA. sim, voa, voa pelas alturas e cai na cabeça do mocinho. o mocinho sente a pancada e quando vai ver, um sapato caiu. "cinderela", penso eu, olhos fitados na tv na minha frente. em seguida, os dois se entreolham. parece que ROLOU CENTIMENTO. amanhã eu vejo o resto.

além de acompanhar a novela das seis, saí tontinha da esteira, menina. que foi aquilo? parecia que tinham me pendurado pelos pés e rodado por anos. ton-ti-nha. ok, fui procurar o moço instrutor pra ele me dizer o que fazer. ai, meu deus, aquelas máquinas de musculação me dão medo. parece que eu tou num filme dos anos 30, num metropolis da vida, com aquela maquinaria pesada toda. quando eu cheguei num lá que tinha uma enorme coisa metálica que eu precisaria empurrar (deitada) com os pés, imaginei aquilo caindo em cima de mim, aqueles pesos pretos enormes, caindo sobre mim. acho que vou sonhar com pesos assassinos querendo acabar com a minha vida.

mas é nenhuma. como eu sou café com leite ainda, o tio deu uma maneirada. quando vi, fiquei quase 1h30 fazendo exercícios sem parar. amanhã eu vou acordar um caco. ou nem acordar. ok, vou ali comer, antes que eu tenha uma queda de pressão por hipoglicemia.

29.9.02

mas que grandes bosta a festa a fantasia, hum? eu aqui quebrando a cabeça pra achar um bom vilão e tinha um fred flintstone cara de pau lá. que raiva, odeio essa gente sem criatividade. minha fantasia ficou legal, mas a turma velha guarda nem conhece os rugrats. até teve uma galera que achou que fosse laurinha dos ursinhos carinhosos, mas ursinhos carinhos são gueis demais pra eu me fantasiar de algo relacionado com.

28.9.02



eu tou indo ja já pruma festa à fantasia. deve ser a décima sexta, só nesse mês. só que dessa vez é pra se vestir de algum vilão. pense numa dificuldade, arigó, pense. tudo que me passa pela cabeça como algo viável, acaba não sendo. pra ir de dee dee, irmãzinha prego do dexter, me falta aquela roupinha dela de balé. do pestinha, me faltou um estilingue. odete roitman é muito chique pra mim e, sei lá, meu, aquele cabelo... não adianta, não vou me vestir de alex de novo. além de já ser manjado, quem vai querer olhar pra uma menina de cuecão amarelo e com hidroceles? ah, meu jesus! ainda bem que aninha desistiu de ir de angélica (aquela ruinzinha dos anjinhos) e vai me emprestar seus apetrechos. espero que sirva.

ahn, acabei de me visualizar aqui de dona florinda, mas será que ela é vilã? puxa, eu tenho um vestido de velha, daqueles que tu compra na rua das calçadas por 5 real. e com o avental lá da cozinha. e com bobes na cabeça? trash, isso não vai dar certo.
cheguei a conclusão de que, quando houver um aglomerado de gente num só lugar, ou morreu alguém ou é dia de santos cosme e damião.

27.9.02

uia, que legai isso aqui. muito boa a idéia.
esses dias eu acordei com bola de pus nojenta no canto do dedo indicador da mão esquerda. horrível, grande e dolorida. meu dedo tava vermelhaço, inchado e quente ao redor. quando foi hoje, o treco tava bem maior. gigante, verde e nojento. temendo que precisasse ir num hospital pra SARJAR o esquema, fui fazer uma micro-cirurgia no cru e com o auxílio da, er... outra mão. primeiro coloquei o dedo na água quente por 5 minutos e em seguida botei pra catucar a ferida e abrir o coiso do pus. com muito esforço e determinação consegui extrair o caldinho verde. caralho, doeu pra burro, vou te contar. tem que ser MUITO MACHO pra fazer esse tipo de operação sem gritar. eu, como boa mulherzinha, gritei pacacete, do lado da minha mãe, que está enferma e com o pé quebrado. ela ficou com peninha de mim e disse "é, tem que doer mesmo, senão não sai". o que eu sei é que consegui tirar o volumão de pus que tava no dedo, mas ficou uma coisinha dura e verde, mesmo depois de lavar com água e sabão. tasquei rifocina e espero que nenhuma merda aconteça.

REZEM POR MIM, CRIANÇAS, PORQUE TODAS AS MAZELAS DO MUNDO ESTÃO CAINDO EM CIMA DESSA QUE VOS FALA.

além disso, aquela tosse já dura quase um mês. aquela, sim, aquela da poeira da reforma da casa. continuo tossindo, igual a antes. e a outra coisa é um pouco mais constragedora. acho que tou com ameba. tá, PODEM RIREM. mas é sério, galera. tá foda. às vezes eu não como nada assim, estranho, tipo um cheddar mcmelt ou comida chinesa, e faço um cocô com uma consistência estranha. é estranha mesmo, gosmenta e amarelada (médicos, isso confugura ameba?). desculpem o assunto de cunho excrementício, mas faz parte do meu problema. e pra completar, minha mãe vai passar um mês em casa com um gesso no pé, só fazendo exigências do tipo "bota essa roupa suja no cesto" ou "faz um cafá ali pra mim".

sai de mim, chaga maldita! vou ali tomar um banho de sal e já volto.
ontem rolou a segunda fase da seleção do jc. outra dinâmica de grupo quarta série, dessa vez mais divertida. bem que me disseram que basta fazer um agazinho que eles gostam de tu. a gente se dividiu em dois grupos pra criar a primeira página de um site de serviços. qualquer coisa. o nosso foi uma floricultura com vendas online que também trazia informações e curiosidades sobre flores. o outro grupo fez uma tal de madame web, serviços de charlata..., ops, esotéricos pela internet. depois pediram o impossível, juntar os dois sites de alguma forma. aí a madame web virou uma cigana e seus serviços giraram em torno de, claro, flores. qual a flor ideal para sua personalidade? como afastar sentimentos ruins com as flores? e outras merdas que a gente inventou lá na hora. foi legal, no fim das contas.

de noite, rolou uma homenagem ao cartunista laílson e lá estávamos nós do hqtv cobrindo o evento. heheh. coisa trash, eu, do jeito que tava desde de manhã, com a diferença do banho que tomei na casa de flávia. mas foi legal. ainda fomos cobrir o lançamento de um livro de poesia lá no gabinete português de leitura. depois foi só alegria. cerva pra dentro, madonna e cerol na mão.

26.9.02

"tainá sofre de hidrocefalia. a cabeça dela é enorme e ela precisa de dinheiro para comprar um equipamento que segure a sua cabeça. venham aqui conhecer tainá. ela não fala, não anda, vive quietinha por causa do seu problema. ajude tainá."

alguém me disse que já ouviu um carro de som desses anunciando esse esquema aí dessa tainá. hoje eu tava na parada esperando meu ônibus e vi uma parati velha passando com uma caixa de som e anunciando a mesma coisa. será que tainá sai rodando pelo recife todo pra mostrar seu problema em todos os bairros para que role uma comoção geral? será que é uma fita gravada feito aquelas dos "sorvetes gostosos, sorvetes deliciosos. dez bolas de sorvete por um real. tragam a vasilha"? parecia, pelo menos, ser uma gravação. o que é meio óbvio, já que o motorista não ia ter saco de ficar repetindo o mesmo texto e a mãe da tainá estava muito ocupada segurando a sua cabeça. mas é muito, muito estranho o mesmo carro passar pela avenida caxangá, pelo metrô de afogados, pelo centro de prazeres, pelo mercado de casa amarela e pela praça da várzea.

25.9.02

ontem eu fui com as meninas pro fashion e arte ver desfiles de muoda, já que flávia ganhou seis ingressos pra badalação. chegando lá, superlotado. a província toda estava presente. os desfiles foram legais, principalmente o da hugo boss, com aqueles homens perfeitos dentro de roupas lindas. mas os outros desfiles também tiveram seus momentos. as modelos, meu deus! só me causavam depressão com aqueles corpos malhados, sem celulite. algumas era MUITO magras, coisa que eu abomino hoje em dia (depois de ter passado por isso). mas outras eram magrelas com curvas, bundas e peitos razoáveis, que eu ficava deprê só de ver. sem falar que todas tinham o rosto lindo. ai, mas os modelos... meu deus. perfeitos. um deles (lindo, por sinal) tinha até cachopa, pra tu ver como os tempos mudaram. TE CUIDA, BRUNO GALERA.

e agora acabei de voltar da academia, onde fiz minha matrícula. às 11h tenho exame médico lá pra ele medir minha gordura descomunal e me passar as séries de exercícios que farei na danada. antes que alguém me crucifique, meu objetivo é perder a barriga, não é ficar gostosa, como alguns podem pensar. portanto, bico calado e não me reprimam.

24.9.02

há quase um mês, mandei meu currículo pro jornal do commercio. quando foi ontem, me ligaram dizendo que iria rolar uma dinâmica de grupo e tal. nem sabia do que se tratava e fui. quando cheguei, só tinha gente lá do curso, hahaha. mas foi bem legal. eram aquelas dinâmicas bem quarta série que consistem em revistas pra recortar, hidrocor, cola e um gigante papel jornal. fiz uma colagem nojeira lá, até fred astaire eu botei no meio. foi legal, falei pra caramba, apesar de ficar nervosa sempre que falo a sério prum público de mais de dez pessoas. depois tive que fazer uma redação TEMA LIVRE. desde pequena eu sempre odiei fazer redação tema livre porque eu não conseguia pensar em nada, em nenhum tema. sempre preferi O TEMA É TAL. mas aí aproveitei o embalo de falar de si mesmo e continuei. não sei se eles iam avaliar o conteúdo da redação, acho que só gramática. era um dos pré-requisitos pro estágio, um bom português. hahaha, todo mundo DEVERIA ter um bom português, mas, sacomé, né? designers...

bom, o fato é que fui selecionada pra segunda fase. quinta-feira. hmmm, agora que estou mais perto desse troço, fica na dúvida se saio do meu bureauzinho ganhando menos mas tão legal ou se vou ganhar mais no jotacê e não saber se vou ter flexibilidade de horários. oh, dúvida cruel! pelo menos no jc eu trabalharia com uébi, coisa que eu nunca fiz. é, pensando bem, seria massa passar.

23.9.02

ahn, acho que me impressionou tanto o fato de termos sido parados por uma blitz no exato momento em que desfrutávamos de um um beise, que esqueci de falar como foi legal a noite no posto de gasolina. hshahs. pode parecer trash e decadente passar a noite bebendo duas caixas de cerveja num posto de gasolina em plena conde da boa vista, mas foi tão legal. ficamos encostados no carro brincando de desenhar cosias com o cigarro no ar. é divertido, tentem em casa, crianças. pense que no decorrer do processo os desenhos foram ficando mais complexos e o pior, tinha gente que acertava. depois a brincadeira ficou mais trash ainda e começamos a fazer desenho de cu. meu deus, décadence total. tentem na frente do espelho, fazer desenho de cu. é uma ótima forma de se aprender a dançar, vão por mim. usarei o método no próximo BAILE que for. e falando em baile, sábado fui numa festa à fanstasia e tava a própria popozuda, dançando os funk e descendo até o chão. MEDA.
o findi foi legal, muitas festas e brá. mas ontem foi realmente CENISTRO. estávamos eu, aninha, flávia, tejinho e alvinho rodando de carro, fumando maconha e procurando um lugar onde pudéssemos desfrutar de um bom suco de cevada. saindo ali do recife antigo pelo marco zero e seguindo como se fosse pra olnda, fomos parados por uma blitz. o detalhe é que estávamos fumando naquele exato momento. e adivinhem onde foi parar o baseado na hora em que o carro parou? na minha mão, claro. joguei o bregueço aceso no chão e pisei pra não rolar risco de queimar o carpete. quando tejinho abriu a janela, aquela fumaça branca na cara do poliucial. meu deus! há muito tempo não torava um aço tão filho da puta. pediu os documentos e habilitação, aquela coisa de praxe. o ipva tava atrasado e coisa e tal e isso daria uma multa fera e perderia 5 pontos na carteira. eu sei que flávia e tejinho foram lá resolver o causo e nós ficamos no carro tentando ver onde poderia ser guardado o resto da parada. hahshah.

eu sei que o policial pediu 30 contos pra livrar a gente. puta que pariu, nunca achei que fosse passar por uma situação dessas e sair pagando propina. alguns acham ótimo que no brasil exista policial corrupto e cidadãos que contribuam com essa corrupção, porque podem sair dessas situações com mais facilidade e com um custo menor. mas eu, sinceramente, fico dividida. não sei se é melhor dormir numa delegacia. sei que juntamos todas as nossas misérias, demos ao policial corrupto (ê, redundância) e fomos recuperar a nossa dignidade tomando 24 latas de cerveja num posto de gasolina.

a pergunta que não quer calar: por que ele não revistou o carro?

20.9.02

olá, crianças! esse foi o resultado de mais um dia produtivo de trabalho no bureau de design:

19.9.02

acabei de passar pela APEM – Associação Pernambucana de Esclerose Múltipla.
alguma menina entrou aqui procurando por "ultrassonografia vaginal medo". eu digo: TENHA MEDO MESMO. pricipalmente se o médico que foi fazer a ultrassom for velho, grosso e mostrar uma camisinha a você como se você nunca tivesse visto aquilo. e não se esqueça de velcrar a bata antes de levantar da caminha, viu querida?


mas digo, num dói não. dá uma agoniazinha mas é lindo ver seu útero na telinha. lindo mesmo. sem falar que aquele gelzinho gelado é trimmmassa.
ahn, ontem eu nem ia sair, flávia até me chamou pra ir num bar com clone, mas consegui vencer a vontade com a preguiça de encarar um ceasa/casa amarela. mas fui tentada pelo convite do meu irmão, o rafa, pra ir a uma bl. na rial, era a vernissage da exposição de nelson leirner, lá no MAMAM. e o pior, eu gostei pacaláreo. o cara é bom. em toda minha curta existência em museus de arte moderna, só vi duas exposições que realmente me chocaram, ou me deixaram incrível, o que é a mesma coisa. mas só duas, realmente, me fizeram sair do bregueço falando putaquepariumasquetroçoducaralho. sim, a primeira foi a exposição do espanhol manolo valdez. e a segunda, a do brasileiro vik muniz. ontem eu senti isso, apesar das três não terem nada a ver uma com a outra. bom, não tou a fim de falar sobre a exposição, mas digo que tá muito bom e vai lá ver, manezão. não deixem de ver o que ele fez com as fotos de bebês fofos da fotógrafa anne geddes. e nem o altar do rei roberto. e nem o jogo de futebol missa, com direito a todos os santos e ícones.

eu sei que a exposição foi massa e a bl, nem tanto. só bebi uma taça de vinho. mas foi massa o após, a gente na beira do rio conversando merda e fumando unzito. no carro de tejinho tratando e enrolando a tonha. menino, no final ficou um baita chaura que eu fiquei incrível como a gente fumou aquilo tudo. acho que tinha 1,2cm de diâmetro. ahn, tou muito tonhêra, né? desculpem, é que eu preciso parar de beber e encarar esse mundinho DE CARAS é meio difícil. ok, desculpem novamente a minha desculpa de junkie amarelo.

18.9.02

porque eu sou...

por favor, quem não leu os últmos posts dos tio mojo, corra lá a-go-ra. sério. tem uma coluna dele publicada num COL de 98 que eu morri de rir, engasguei com meu amendoim japonês aqui e vou passar a tarde tossindo.

17.9.02

eu já disse que sou apaixonada pelo pastel do burburinho? geralmente pastel é uma coisa que me deixa por demais enjoada por causa do óleo e tal. e sem falar que nunca têm recheio. ou, se têm, é enjoado. mas o do burbirinho é daqueles que você sonha pelas madrugadas em comer um. é estar numa larica do outro lado da cidade e ter coragem de ir até lá só pra comer um pastel de carne. aquele recheio, meu deus, é um manjar dos deuses. o tempero, filha, o segredo todo está no tempero que, claro, está guardado a sete chaves. mas eu como sou esperta, sei que são ervas finas e me arrisco até a dizer quais são. ainda vou fazer um recheio tão maravilhoso quanto aquele. e minha meta, alguns já sabem, é aprender pra fazer milhões de pastéis e nadar sobre eles.

16.9.02

eu nunca contei como adoro um monte de gente que eu nunca vi na vida. pois é. quem usa muito a internet sabe bem o que eu tou dizendo. usei a internet pela primeira vez em 96 na casa do meu primo iandê. tinha um modem fodido em casa e eu nunca consegui usar nada. também não era uma coisa com a qual eu estava tão familiarizada e nem fazia tanto parte da minha vida pra eu precisar comprar um modem novo. só em 98, quando trocaram o computador lá de casa por um 486 (hehe) é que eu fui ter internet. desde lá, conheci uma tuia de gente, inclusive gente que eu nem me lembro mais e outras que eu reencontrei tempos desses. nesse meio tempo conheci pessoas maravilhosas e odiei outras mil. o mais estranho de tudo é você falar de alguém que você nunca viu "ah, lila é muito engraçada" e eu nunca vi a fuça da menina marília. é falar do livro do mojo, dizer que ele é um sujeito bacana e nunca ter chegado perto dele. estranho.

hoje, quando abro o icq, tem a mensagem mais fofa do mundo:

oi, cecils.
tava aqui lendo teu blog e fiquei com saudades, vontade de te encontrar de novo. posso estar enganado, mas, pelo pouco que experimentei, tu é uma pessoa muito foda. eu te encontraria, tu me abraçaria com calma e me faria um cafuné. eu lembro de algo assim. tu pode aparentar ser uma pessoa metida a machona, virtualmente falando, mas tu é uma pessoa muito mansa e simples. gosto muito de ti, viu? quero te ver de novo.
beijo, lique.


fanti é meu amiguinho lindo de porto alegre, que me abrigou (muito bem, por sinal) quando fui pra lá em janeiro desse ano. além de ótimo anfitrião, ele é um doce de pessoa, não perde a calma e é o morrissey do uruguay. partidão, hein? e solteiríssimo, querida, atrás de uma mulata gostosa pra casar. lique, adoro você, meu filho e pode ter certeza que eu adoraria estar aí fazendo cafuné em você e dançando madonna na sala da tua casa. um beijo apertado.

quanto ao fato de eu não ser machona na real, rapaish... acho que quem convive mais comigo pode dizer isso melhor. eu mesma não me arrisco a falar de mim. ok, vou lançar uma pesquisa lá no guestbook (o link tá ali do lado e nunca foi usado): cecília é metida a machona na vida real?
domingo é realmente um dia em que a gente se convence de que nada bom vai acontecer então acaba dando sorte ao azar. ontem foi um domingo como há muito eu não via. saí cedo de casa, fiz um monte de coisas legais com pessoas legais, algumas com quem não saía há muito, muito tempo. pra se ter um a idéia, no fim da noite a gente foi parar num VIDEOKÊ em OLINDA. sério. eu e tejinho cantamos "o nosso amor é lindo" de placa luminosa. e adivinha a nota que tiramos? 99. claro que isso é birra do videokê só pra não dar 100 pra gente. e não venham dizer que sempre sai errado esse troço, que basta gritar e nem precisa cantar no tom pra tirar nota alta porque é mentira. eu tenho meus talentos vocais.

eu acabei nem falando com foi legal o show de marky no sábado. na verdade, foi no domingo. 3h10 da matina o negão começou a tocar. que instigação da porra, mas eu não consegui acompanhá-lo até o fim, cansei antes. mas dancei muito mais do que a minha gordura e sedentarismo puderam agüentar. foi massa, acho que valeu a noite, apesar daquele lugar infausto que é a fashion club.

ah, e na fila da saída aconteceu um lance muito bizarro. um coroa com seus 40 e tantos anos, quase 50, cabelos meio ruivos, olhou pra mim assim, assim, e perguntou se eu era filha de fernando. tomei um susto mas fiquei calada, com aquela cara de retardada. insistiu e perguntou o nome do meu pai. "fernando". e da tua vó? "maria luísa". ele apresentou as pessoas que estavam com eles como "netos de luís torres", que penso ser irmão da minha vó. ou seja, se o sujeito aquele for o pai daqueles três que ele apresentou com como sobrinhos-netos da minha vó, ele é primo do meu pai. logo, meu primo segundo. nossa senhora. olha só o lugar onde eu vou conhecer um coroa que eu creio ser primo do meu pai: na fashion club. que vergonha!

pergunta: como ele adivinhou que eu era eu, se eu nunca na minha vida inteira vi a fuça aquela figura?

e tem mais um lance bizonho nisso tudo. fui contrar à minha mãe do ocorrido e ela perguntou o nome do sujeito. nicolau. "ah, cecília, ele é o pai daquele menino da foto, o que tem o côco parecido com o seu". ahn, explico. tem uma foto minha bebê que eu estou de perfil junto com outro bebê da mesma idade, também de perfil, e é impressionante como parecemos gêmeos. eu tenho um troção grande na cabeça, um coco ducaralho (quem já me viu de cabeça raspada pode confirmar) e o guri tinha igual. sem falar no nariz, tudo era igual. só que ele era bem mais gordo e maior que eu. ahn, vou tentar achar agorinha essa foto, escanear e publicar aqui procês. esperem.

14.9.02

eu sei que ele nem deve estar lendo isso aqui, mas FIRPO, TOU INDO VER MARKY AGORA!
é, o marco zero nem tava tão lotado assim como eu imaginava. e foi legal o esquema lá. eu e o rafa chegamos final do show da mombojó e o bichinho só tocou a última música. ficou triste que só, o rafa. ainda entrei com ivi no camarim e pelo menos bebi ceva de graça e fumei uma tonha ishpearta. e ainda dei beijo de boca.

amastarde adivinha quem eu vi? A MONGA. sim, ela mesma, a mulher que vira macaco. o pessoal da submarino fez uma festinha e montou uma monga trimmmassa lá dentro. muito legal. e, assim, confesso que senti medinho parecido com o que sentia nas mongas de parques de diversão. é. foi massa.

primeiro aparece uma moça de peruca preta e biquíni vermelho de vulgo tatiana. tatiana está lá. ela tem superpoderes. o narrador dizia para ela ter calma, claro, ela ia conseguir. de repente, tatiana vira um alienígena que mais parecia aquele superherói do oceano. como é o nome dele? bom. tatiana consegue voltar fraca para o seu corpo. afinal, consome muita energia virar alienígena com jeito de superehói aquático. foi quando, então, com muita concentração, apareceram pêlos no seu corpo. pêlos, muitos deles. nojentos. quando dei fé, monga estava lá, possessa, o diabo na carne. ela esperneava, batia nas paredes. quando aquele bicho conseguiu sair da jaula eu gritei. ele veio pra cima de mim. gritava. me lembrei das mongas que vi quando era criança. meu deus, aquilo era tenebroso, muito feio mesmo. e porra, não me venham falar em jogo de espelhos porque eu olhei atentamente para cada detalhe da transformação e tenho provas de que tatiana virou mesmo um macaco feito e peludo e com o tinhoso no couro.

13.9.02

nossa, mas que troço cenistro (© lila) esse tal de señor coconut. imaginem o que são uns malucos tocando musiquinhas do kraftwerk em ritmos latinos. isso, bongôs, xilofones, metais e alma bigodinho. muito legal. baixem tudo que acharem, façam-me o favor.
não sei o que se passa na cabeça de uma pessoa que entra num buscador procurando por "dei o cu pro meu cachorro e gostei". quanta perversão, por deus! será que esse sujeito deu pro poodle da casa dele, curtiu e foi atrás de mais gente que tivese feito o mesmo? ou será que o cara tomou um chá de trombeta, ficou loucaço, sumiu pela praia e acordou de cu pra cima com o calção no joelho e um cachorro lambão deitado ao lado?*

*conheço alguém que pode explicar essa história melhor, mas sem nomes.
mulher grátis até meia noite. eu gostaria muito de dizer pra o moço da entrada que quero pagar preço de homem.

de qualquer forma, o show do dj bolores e orquestra santa massa foi bem legal. uma pena que antes do show começar o dj desabonado só tinha um cd do jamiroquai e o bloodsugarsexmagik do rhcp. só podia ser, por que alternava uma música de um, outra de outro. e assim foi até o chou começar. é, o bolores manda bem sempre. aquela negona que toca pandeiro é uma gasguita massa. o menino da guitarra é o terror das patys que vão para lugares onde mulher é grátis até a meia noite. e a rabeca, meu deus, eu amo rabeca! que coisa linda o conjunto da obra, aquelas batidas drumba com uma rabequinha roots e uma tia gasguita cantando. trimmmassa.

não dei beijo de boca em ninguém porque ninguém me ama ninguém me quer, ninguém me chama de baudelaire.

11.9.02

que fofinho que léo fez:

ah, esses dias eu tive um sonho engraçado. eu ia comprar uma garrafa térmica numa loja chinesa lá da 7 de setembro. a garrafa custava 19 reais, mas por algum mérito que eu possuia no sonho, pedi um desconto à dona da loja, uma negona deste tamanho. ela foi supergrossa, dizendo que não tinha desconto nenhum, o preço era aquele mesmo. daí eu disse que ela era muito grossa, que não se tratava um cliente assim. foi quando ela soltou:

- cala a boca, cara de moby!
- cale você, cara de whoopi goldberg!

ainda pensei em voltar pra chamá-la de cara de morgan freeman, mas achei que ela ia se sentir muito incomodada com a alcunha. aí eu acordei.
elevador sempre foi pra mim sinônimo de privacidade (somente abalada quando o maldito resolve ou chegar no destino ou parar pra algum incauto). imagina o que é ser observado por um big brother até dentro dum elevador. pois. sábado eu fui fazer um trabalho na casa duma amiga. ela mora num desses prédios super-hiper-modernos, cheios de firulas e com arquitetura guei. precisei ir embora antes de todas as minhas outras colegas pra filmar o hqtv e não é que elas foram me assistir no elevador? como fui tão tola de não perceber uma cãmera ali?

no dia seguinte, ligo pra bárbara para saber como anda o trabalho e ela me conta a novelinha. disseram que eu tirei catota, tirei a calcinha do cu, ajeitei o cabelo, pus a mão na cintura assim, pra me ajeitar, olhei pra bunda e essas coisas que você só faz trancado no quarto ou, claro, dentro do elevador. pense NA VERGONHA. pense que nunca mais eu vou me sentir bem num elevador. sério, gente, isso não se faz. imagino os porteiros olhando pelas câmeras um casal no maior sarro da paróquia até chegar no 28° andar e batendo uma sarada lá da portaria. deveria, pelo menos, ter um aviso bem grande, em letras garrafais SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO OBSERVADO POR TODOS OS MORADORES. E PELO PORTEIRO PUNHETEIRO TAMBÉM.

10.9.02

ma-co-nhá.


9.9.02

fotos menina 16 pelada
como comprar o livro universo em desencanto
fotos da minha prima pelada downloads
Fotos da monga a mulher macaco
David Carson [esse era usuário de mac, hshs]
sushi amastarde. alguém?
e não é que ontem eu fui bater no hospital? ok, não foi nada grave. é que eu tou com uma tosse que não pára há mais de cinco dias. e ano passado tive algo parecido: tosse horrível sem parar por dez dias. eu achava que era garganta e comecei a fazer de tudo pra cuidar dela. gargarejo com elixir sanativo, água morna com sal grosso, tomava chá de alho com limão e mel e nada da tosse parar. só conseguia dormir com um pano com álcool na garganta. daí fui num otorrino e tive que tomar por oito dias um antibiótico fortíssimo. e não era garganta. pois é. crendo que era algo parecido, fui pro hospital, já que mamis ia viajar hoje e tal. não era nada. como eu tenho rinite alérgica e minha casa tá em reforma, aí fudeu a merda. mas era wilson. já estou medicada. mas continuo tossindo.

alguém sabe de algum bar com clone de cerveja hoje?

8.9.02

tou há dois dias sem postar, mas tive um fim de semana bem cheio. sexta eu fui na concha parabólica, um treco que tá rolando toda sexta na concha acústica. assim, é um evento pago, caro (12 pilas e 6 pra estudante, e toda semana alguns cursos da ufpe são contemplados com convites, mas isso já deu confusão demais) e na concha acústica. assim, conseguiram que não se precisasse mais alugar (pagar) a concha para fazer eventos ali. conquistaram o direito de que se fizesse de graça pra qualquer um. e o cara da organização é um filho da puta que só tá pensando no bolsinho dele. mas essa minha raiva toda veio do seguinte. nosso amigo cláudio, que tocou naquela noite, quis entrar no camarim pra comer e beber algo. quando nos deparamos, lá dentro, com um belo prato de sushis, fomos em cima. tava numa larica do caralho e não deu outra. de repente aparece o cara da organização gritando "quem são vocês? o que vocês tão fazendo aqui?" e cláudio foi tentar dizer que era do astronautas, tocou ali naquele dia e queria usufruir dos benefícios de ser um pop star. hehe. o cara foi super grosso, quase arrastou a gente dali pra fora, dizendo que aquilo era só pra organização. nem cláudio nem a banda dele ganhou nem uma cerveja pra tocar ali e nem recebeu cachê. na moral, vou boicotar esse evento. o pior é que o filho da puta já reservou todas as sextas feiras até o fim do ano. tomara que ele tenha o maior prejuízo da paróquia.

bom, no dia seguinte... fui pra casa duma colega de faculdade fazer trabalho lá pelas 11h da manhã. à tarde ainda fui filmar a segunda entrevista do hqtv lá no cu do mundo, em piedade (desculpem os jaboatonenses). já tou bem mais relaxada com esse troço de câmera e tal. fluiu bem mais naturalmente. finalmente cheguei em casa e pude descansar um tiquinho. e lá pelas 11h30 da noite fui pruma festa lá em apipucos, o bota-fora duma menina aí. foi legal, bebi quase nada e me diverti às ganha.

6.9.02

o que cês acharam do loguinho da porta da rua? tava brincando aqui no paint brush e acabei fazendo esse gatinho pixelado aí.

5.9.02

procurando por, entraram aqui:

caganeira
powerpoint de mulher pelada [essa foi realmente bem criativa]
mulher pelada nua gostosa mulher OR pelada OR nua OR gostosa
foto shortinho
PHOLHAS
cartão de fliperama
beatallica
wav silvio santos
gabriela de shortinho
tou a ponto de endoidar aqui. fim de semestre na universidade, cheia de trabalhos pra finalizar. amanhã tem apresentação do segundo trabalho de projeto de graduação 1. pra completar, minha casa tá ao avesso. ontem eu saí de manhã de casa com tudo no lugar e quando voltei a casa tava toda bagunçada com a reforma. meu quarto é só lixo, resto de parede, sem móveis, só com a minha big cama de casal cheia de porcaria em cima. e a poeira tá me fazendo um mal terrível. tou tossindo muito. bom, pelo menos eu tenho uma janela enorme agora, posso ver o céu grandão sempre que tiver vontade. e ainda vou ganhar uma parede azul, de lambuja, pra quebrar o clima monótono do branco. pelo menos isso.

e hoje darei um tempo em casa pra cuidar da minha saúde já debilitada depois de 8 dias bebendo direto, seguindo o fluxo do SNAKEASS CLONE BEER CIRCUIT PROJECT. mas amanhã a luta continua.

4.9.02

uia, que legal:





Que Saltimbanco você é?

3.9.02

Sempre ponho algo para ouvir antes de dormir. Já estava quase pegando no sono, naquele estágio em que você não sabe mais se está mesmo dormindo ou se está sonolento demais e seu corpo pesa no leito. Bem baixinha, aquela música me prendia a atenção. A voz era doce, bastante aguda. Era algo hipnótico, mágico, chegava a assustar. Não sei se estava de olhos abertos, mas via algo que não sei descrever. Um vulto, uma sombra. Era alguém. Alguém que fazia bem estar junto. Mas não via seu rosto. Eu fazia de tudo pra tentar enxergá-lo mas estava tudo muito neblinado. Isso me deixava angustiada; eu queria ver seu rosto, eu precisava gravá-lo. Eu queria tocá-lo. Mas ele foi se afastando, se afastando e cada vez mais eu tornava mais ansiosa, atribulada e tensa. Aquilo me enlouquecia. Tentei correr para alcançá-lo. Em vão. Eu estava presa a um tronco de árvore. E cada vez mais ele se afastava, e se tornava uma ilusão... Tive essa visão novamente, com aquela mesma música dos anjos e dessa vez consegui me soltar do tronco de árvore. Mas quando fui me aproximando do vulto e indo com a mão em direção ao seu rosto a música acabou.

essa porcariazinha eu encontrei perdida aqui no diretório LETRAS DE MÚSICA. shhahs, não, não é uma letra de música. não me lembro se em 99 (data do arquivo) eu tinha alguma pretensão de escrever. espero que não. mas era wilson, blog é se expor ao ridículo também.
[catado dos comments de mojo]

CECÍLIA f Portuguese
Portuguese form of CECILIA

CECILIA f English, Italian, Spanish, Scandinavian
Pronounced: se-SEE-lee-a
Latinate feminine form of the Roman family name Caecilius, which was derived from Latin caecus "blind". According to legend, Saint Cecilia was a 3rd-century martyr who was sentenced to die because she refused to worship the Roman gods. After attempts to suffocate her failed, she had her head chopped off. She is the patron saint of music and musicians.

CECIL m English
Pronounced: SEE-sil
From the Welsh name Seissylt, which was from the Roman name SEXTUS. It can also derive from the Roman name Caecilius (see CECILIA), which was the name of a 3rd-century saint, a companion of Saint Cyprian.

CÉCILE f French
French feminine form of Caecilius (see CECILIA).

CECILIJA f Slovene
Slovene form of CECILIA

CECILY f English
English feminine form of Caecilius (see CECILIA).

CILI f Hungarian
Hungarian form of CECILIA

CILKA f Slovene
Slovene form of CECILIA

SÍLE f Irish
Irish form of CECILIA

SÌLEAS f Scottish
Scottish form of CECILIA

SILJA f Finnish, Scandinavian
Finnish form of CECILIA, used also in Scandinavia.

SISEL f Jewish
"sweet" (Yiddish). This name is also used as a Yiddish form of CECILIA.

SISSIE f English
Pet form of CECILIA

SISSY f English
Pet form of CECILIA

eba, ganhei um monte de apelido

2.9.02


400 ASA + flash é demais pra minha tez
adivinhem quem encontramos no habib's ontem? alguém lembra de feio, o garçom do habib's que fornece maconha pros clientes da lanchonete? eu não lembrava da cara dele, mas ele chegou falando de tatuagem, pra puxar assunto. depois disse que tinha DEZOITO tatuagens pelo corpo. uma delas estava visível, na mão do sujeito. tinha escrito
TAIMÁ
A MINHA
FILHA

assim, nessa disposição, no rosto da mão. as outras (se é que existiam) não davam pra ver, mas ele parecia ser um SERVO DO TINHOSO. ele falou que tinha uma nas costas que era uma igreja, com umas torres assim e em cima os olhos do satanás. embaixo uma frase que não consigo me lembrar mais, mas que tinha algo com OS MORTANVIVO. hshsha. e a outra também com uma temática ozzy tinha outra frase: ESTOU MUITO OCUPADO PARA PENSAR EM DEUS. e ainda falou dos seus projetos de fechar o corpo e tal. na moral, o que leva um cara desses se apresentar num habib's como FEIO, oferecer dolinhas de 3 e de 5 reais ("e mais o que tu quiser!") e falar das suas 18 tatuagens remosas antes da gente pedir esfihas? não entra na minha cabeça. esquésito demais pra mim. mas foi legal reencontrar feio.

de resto, o domingo foi legal. pelo menos não fiquei morgando na internet o dia todo. teve exposição no submarino, foi legal. uma quase festa no recife antigo, que não entramos e o fim da noite no garagem.

1.9.02

ontem foi legal o aniversário de ivi. foi uma festa à fantasia num lugar trimmmmassa lá perto do cais de santa rita, o classic hell (pra quem não é do recife, tem uma grande e caríssima casa de shows aqui chamada classic hall, ha ha). o lugar é um grande vão pintado de preto, numa casa velha. apesar do calor infernal - inevitável a piadinha infame - é um lugar massa pra festas. aí teve som legal e brincadeirinhas de cupido. recebi logo que cheguei uma espécie de crachá escrito yoko ono e embaixo procure por john lennon. poderia ser uma brincadeirinha engraçada mas acabou que o crachá era pequeno demais prum lugar escuro demais e sair procurando sua cara-metade naquelas condições era tafera hercúlea. desisti de achar meu john lennon.

ah, esqueci de dizer que fui fantasiada de twiggy e que ficou até passável a minha fantasia. mas não consegui nem pôr os cílios postiços (morte a quem inventou essa bosta incômoda) e tive que me virar com rímel e delineador. arranjei um vestido da época de última hora com uma amiga. ficou legal. tirei foto. depois posto aqui.

a festa acabou ficando chata e o pessoal queria ir pro radiola, lá na putaquepariu em olinda. eu não tava muito a fim de pagar pra entrar numa festa já de madrugada mas acabei indo porque ia dormir na casa de flávia. um cu cagado a tal da radiola. aquele renato l merece ser currado. a noite terminou com mais uma vez aquela sensação de vazio.