30.10.02

ontem o comentário geral na mesa do bar foi que o meu blog era escatológico. porra, cês acham isso mesmo? antônio ainda disse que eu falo que tenho ameba e que sou zarolha pra me auto-promover. poxa, não é pra isso não. é pra vocês me acharem coitadinha.

29.10.02

alguém aí fala alemão?

Date: Tue, 29 Oct 2002 07:44:36 -0300 (BRT)
From: "Lady"
To: "Lady"
Reply-To: emily@hotmail.ru
Subject: Na,weisste noch wer ich bin?
X-Mailer: Microsoft Outlook Express 5.00.2919.6900DM


Hallo....

Hehe , ist ganz schöne lange her , aber solltest mich glaube ich noch kennen....

Ich hab endlich meine Homepage , kannst sie dir ja mal anschauen : klick hier

konstruktive Kritik ist immer willkommen :-)

Meld dich mal wieder...

Gruss u. Kuss
episódio de hoje: o almoço no remoso

numa ruazinha sem calçamento ao lado da reitoria tem um restaurante trimmmmassa. não tem nome, mas foi apelidado por nós graciosamente de remoso, devido à quantidade de cominho usada na hora de temperar o feijão e a carne. tudo tem cara de comida de vó. funciona no esquema de self service sem balança (isso mesmo, tu coloca no prato o quanto conseguir) e tu paga R$3,50 por isso. e ainda ganha uma jarra de suco.

hoje a gente foi almoçar lá (um perigo pra mim, que estive mal dos órgãos há uns dias) e vocês não imaginam o que tinha: sarapatel. e, tipo, você se serve à vontade, mas a carne quem coloca é a tia de bigode. você pode escolher até dois tipos de carne. eu fiquei tão louca quando vi o sarapatel, que só quis dele. diálogo entre eu e a tia de bigode que serve as carnes:

- eu quero só sarapatel.
- tá.
- er... o que é isso branco aqui?
- faz parte.

FAZ PARTE? puta merda. é melhor não saber. depois, os comentários na mesa eram do tipo "eu só consegui comer sarapatel e gostar no dia em que eu comi no escuro" ou "se eu comer sarapatel eu vomito, é sério". foi quando eu disse que amava buchada. é que foi uma das refeições mais sublimes que tive na vida, quando fui num sítio lá no cariri. a turma matou o bode naquela tarde e preparou o bucho direitinho, bem limpinho. então só confio nessas porcarias quando o bicho é criado solto e quando as tripas são bem tratadas, nunca nesses botecos de beira de hospital público. quando a turma hoje me disse que sarapatel era feito com a mesma porcaria da buchada, eu engulhei. não consegui terminar de comer. tudo que me veio à cabeça foi meus problemas de sexta feira, os vômitos e minha ameba estela. puta merda. aquela coisa branca e preta no meio de um molho escuro igual a esgoto, não consegui. chamem de frescura, do que for, mas eu não quero passar de novo pelo que passei sábado de manhã. e nem recomendo.

essa foi a minha caricatura que o menino victor fez sexta-feira, lá no arco-íris, pouco antes de eu virar panela

28.10.02

fui no centro resolver o lance do meu passe fácil (que de fácil não tem porra nenhuma) e acabei indo assistir filminho no teatro do parque por 1 real. é uma maravilha aquele lugar. além de ser um belíssimo teatro, depois da reforma e do ar condicionado super dez ele ficou fera. e, porra, 1 real por filmes que tavam no multiplex há um mês. trimmmassa.

mas o parque já teve seus momentos de sofrimento. na época em que as cadeiras eram de madeira e as portas ficavam abertas por conta do calor e as muriçocas aproveitavam o embalo para comerem as pernas dos desavisados que foram de bermuda era foda, mas eu não deixava de ir nem a pau. e era uma espécie de ponto de encontro dos mesc da cidade e dava pra encontrar uns conhecidos e tomar uma cerva nos botecos da frente. ahn, foi lá que eu comecei a namorar com mateus cabeça de ovo, um dos meus namoros de 3 anos. mas isso é papo prum outro post.

bom, o parque era legal. aí passou por uma reforma que durou muito, muito tempo. todos tiveram paciência e nem lembro quanto tempo faz que ele voltou a funcionar com esse chiquê todo. pronto, aí hoje aproveitei a ida no centro pra ver o que tivesse passando lá. monstros s/a, hehehe. é bem legalzinho, daquele tipo de desenho que tu fica com lagriminhas no final. e o cinema tava cheio de pirralho. mas o pior: quem enchia o saco não eram eles, eram as mães. "ai, aquele siclano é muito chato. já viu o cabelo dele? parece que trocou por uma estopa!" bom, é o preço que se paga por ir a um cinema popular. mas se bem que esse tipo de comportamento tem também nos cinemas onde se paga 12 reais pra entrar, então eu sossego. falta de educação tá em todo canto.

e semana que vem soube que vai passar lá cidade de deus que eu - perdão, gente - não vi ainda. bom, pelo menos pagarei 1 real.
jésus, tinha me esquecido dessa maravilha: (oYo)

27.10.02

tem que ir votar, né? ai, que preguiiiça.

26.10.02

oiii, eu sou um zumbi. quer ser meu amiguinho?
a noite de ontem tinha tudo pra ser ótima, exceto por um detalhe bem importante: o que eu comi naquela tarde. na verdade, nem eu mesma lembro mais. sei que comi um mcnuggets agorado, depois de esperar bem uns 15 minutos no caixa pra saber que a cozinha não tava nem sabendo do pedido. filhos da puta. pois. tive, dessa vez, o meu problema mais sério com comidas estranhas (vide mcdonalds). tudo começou com a caganeira básica que sempre tenho depois de comer no tio ronald, ainda à tarde. normal, se eu juntar isso à minha suspeita de amebíase (ou giardíase, heheh). bebi minhas cervas lá no arco-íris, onde teve show da mombojó e tal e coisa e onde os gatinhos que a gente paquerava tinham em torno de 11 anos.

mas lá pelas duas da madrugada eu comecei a sentir um vazio no estômago. supus ser fome. a essa hora eu tava em outra festa, na despedida de faccenda. não havia nem rastro de comida por ali, nem num raio de 500m. fui solucionar meu problema com uma lata de coca, que creio ter sido a causadora mor do meu problema. comecei a sentir como se a coca não tivesse digerido, como se tivesse ficado para sempre no meu estômago, como um sopão. aquela náusea absurda chegou num ponto tal que eu precisei forçar pra chamar o raul. vomitei - água pura - e a coisa não passou.

foi quando tive a brilhante idéia de ir pra casa de flávia tentar arriar o barro. supus que meu mal estar era cocô, ainda. cheguei lá e nada do barroso sair. mas vomitei ainda mais, até a tal da bile. aí tive que ligar para a genitora. fomos pro hospital e, como eu havia suspeitado, o médico disse que talvez se trate de uma amebíase (ou giardíase, hehe), mas que eu precisava fazer os exames pra ter certeza. e não descartou a hipótese de ser algo gástrico TAMBÉM. falou até em fazer uma endoscopia. ai jésus. lembro bem da supressão de café, refrigerante e bebidas quentes por um tempão quando tinha crises de estômago na sétima série. foi ruim. eu tomo café todo dia e coca cola às vezes eu até substituo por água. não, não vou ter nada no estômago, eu tenho certeza.

bom, o fato é que eu fui tomar soro com DRAMIN na veia. o tal do dramin é aquele remedinho que a galerosa que viaja longas distâncias de busão toma pra poder dormir. eu já tava com sono. mas a única coisa que o remédio deu, durante os 40 minutos que fiquei com aquele troço enfiado na veia da MÃO, foi uma sonolência estranha, acompanhada de breves e intensos cochilos, nada mais. eu não conseguia ficar de olho aberto, mas também eu não dormia. eu tremia de frio e nervoso, tava fraca pra caralho, daria tudo por um pratão de feijoada bem gordurosa. finalmente o bregueço terminou e pude ir pra casa. já ali no derby, comecei a sentir um enjôo inexplicável, já que a porra do dramin é justamente pra evitar enjôo, ânsia de vômito, essas coisas. aí a pressão caiu. aquela coisa toda que eu já sei, a visão turva, sem ouvir quase nada, tudo ao redor salpicadinho com pontinhos amarelos, uma viagem. e suando pacaralho. pedi pra mami parar o carro, queria vomitar. mas bastou eu deitar no colo quente da véia que passou.

ruim isso tudo, né? pois é. mas nem perdi muita coisa. a festa tava quente demais, o som tava a desejar, ao contrário do que eu imaginava e as perspectivas de dar beijo de boca vão ficando meio escassas quando se aproxima da alvorada.

amastarde tem aniversário de sil e eu pretendo muito ir, nem que seja pra ficar na agüinha e torradinha. agora eu vou ali comer o meu MINGAU DE CACHORRO pra ficar fortinha. tou me sentindo uma bandeira do lula em plena avenida boa viagem. querem a receita pro mingau de cachorro? nunca se sabe quando alguém vai precisar. e é um ótimo remédio pra ressaca:

MINGAU DE CACHORRO (também mundialmente conhecido por todos os seus familiares como cabeça de galo):

1 tomate (com tudo, fronha, semente e pele. seje homem)
1/2 cebola (ok, aqui pode ser sem a casca)
alguns galhos de coentro
cebolinho
salsinha
uma colher de manteiga (não muito cheia. gordura não muito indicada no meu caso)
1 ovo
farinha de mandioca
sal a gosto

corte todas a verduras em pedaços sumários e jogue tudo numa panela média. ponha a manteiga e refogue os bregueços. quando a cebola tiver bem molinha e o tomate se desfazendo, jogue água. a quantidade de água eu não sei, vai depender de quanto mingau tu quer, arigó. deixa tudo ferver. quando tiver borbulhando, jogue o ovo dentro. sim, do jeito que o ovo ficar deixe e não mexa. não agora. pronto, agora que o ovo virou uma coisa amorfa e consistente, pode mexer. agora tu vai acrescentar a farofa AOS POUCOS pra não emboloar. isso, aos pouquinhos e sempre mexendo. sim, isso é um pirão então a farofa vai do mesmo jeito do pirão do chambaril, que infelizmente eu não posso nem sentir nem o cheiro senão meu estômago salta. continue mexendo até você perceber que a farofa se uniu direitinho com a água. pronto, você tem um pirão revigorante e gostoso.

25.10.02


acabei de gravar e estoy ouvindo neste exato momento o primeiro disco do queens of the stone age que meu querido cláudio me emprestou ontem. tou curtindo, até agora. mas nada barra aquela lindeza que é o songs for the deaf.
não irei.



me desculpem juliano-gordo-fronha y demais símios, camilo y otros subversivos e mais todo mundo mas justamente hoje inventaram de despachar renata faccenda pra espanha e ainda por cima vai ter show do meu irmãozinho e de betinho. mas fica aqui o convite pros meus 9 leitores prestigiarem o evento.
Too%20Tough%20to%20Die
Que disco dos Ramones voce e'?

brought to you by Quizilla

24.10.02

da série COMO A GENTE ERA BREGA

trilha sonora do dia:

¬ queens of the stone age - songs for the deaf no repeat (esse é o disco da semana de um MUNCADO de gente também)
¬ vááárias mp3's de martin, medeski & wood para dar um groove
não sei se foi ontem ou hoje que eu sonhei uns troços bem esquisitos, envolvendo inclusive pessoas conhecidas. mas num determinado momento aparece meu pai conversando com um DETETIVE e ele solta a pérola sem sentido: nesse ramo de espionagens, o que são rãs no meio de susies?
está decidido: de hoje em diante, não menstruarei mais. e não, eu não estou grávida.
ontem foi bem legal a lance de abraçar o rio com lanternas vermelhas. ficou uma imagem bonita, o rio à noite, com pouca iluminação, e aqueles pontinhos vermelhos da rua da aurora à rua do sol, pegando a ponte de ferro e aquela ponte lá perto do cinema são luíz. e os fogos, hehehe, atirados bem pertinho de onde eu tava, dão um medinho massa. depois todo mundo seguiu até o recife antigo cantando coisas como "agoré lula, agoré lula, é lulááá" até "serra serra serrador, serra o cocô do meu avô". sem noção.

aí eu tomei chopp e roubei o caneco mentiroso do bar. altas tecnologia. o caneco vem, o chopp parece super-hiper-ultra gelado. você vai sorvendo o líquido e o caneco continua super-hiper-ultra gelado. chega em um dedinho de chopp e o caneco parece, mais do que nunca, estar super-hiper-ultra gelado. depois de tomar a minha segunda promoção (era um caneco desses mágicos de 300ml mais um bebê de 150ml por dois rial) eu pude perceber - ohhhh - que era de mentira o lance lá. mas eu achei tão genial a idéia que não pude deixar de levar pra casa. e o caneco mentiroso vai me acompanhar nas minhas próximas jornadas etílicas. morram de ENVEJA.

e eu ainda fiz vergonha a meus acompanhantes tentando fazer a cena da escada - sim, regan tem me acompanhado dia a dia. eu tenho andado meio entrevada, faz duas semanas que não vou na academia então não consegui meu feito. mas me agachei e fiz FÓQUI MÍ com voz de eric cartman. eu sou demais nas minhas imitações, fala a verdade.

23.10.02

visitei somente hoje a página do caixão dobrável. é realmente impresisonante a quantidade de merda que passa na cabeça desse povo.
o edufo agora tem diarinho :)

22.10.02

gentem, não deixem de ler o post mais recente do moço surfista prateado, comentando as 24 coisas que você não pode morrer sem saber. hilário, me caguei aqui.
a matrícula desse ano foi a pior de todas as 7 que já fiz em toda a minha vida acadêmica. todo ano é a maior novela do mundo porque a porra do cac não tem aquelas merdas que o pessoal das ciências exatas têm. a gente é pobre. aí tem que fazer manualmente, levar na escolaridade pra digitar e tal e coisa. e esse ano ainda foi pior porque as pessoas do meu curso todas têm problemas com nota não informada, reprovação por falta e essas merdas todas, que muitas vezes são por erro do próprio departamento e acaba atrasando ainda mais o processo. pois. cheguei às 9h da manhã. recebi uma fichinha amarela com o número 44 impresso. as pessoas na sala estavam atendendo ao número 11 quando cheguei. massa, vou ali fumar maconha. passei a manhã toda esperando e boa parte da tarde também. foi bom porque fui no bigode matar a saudade daquele bar ruim e daquela macaxeira com calabresa que parece madeira de lei com uns pedaços de fungo. aí quando eu voltei já tava na minha hora. mas o pior foi que carla, minha "orientadora", me convenceu a me matricular em pg2 e terminar meu projeto de graduação. pronto, já vi que vai ser foda esse semestre. além de pagar pesquisa em linguagem gráfica, mais uma cadeira trevas de pesquisa, e com artigo no final, tem o meu projeto, que, ahhhhhhhhhh, eu não sei se quero mais... o que eu faço, meu bom deus? tranco essa bagaça? abandono esse curso e vou pra frança ser chef? fico e viro professora? tou completamente sem saber o que fazer, numa crise em relação à universidade e a utilidade dessa merda toda. afinal, eu me formando em março vou virar uma desempregada, certamente. e nem estágio eu poderei ter mais.

bom, vamos deixar essa bosta toda passar e ver o que rola. quem sabe daqui pra lá eu não conheço um coroa rico, bonito e carinhoso pra me casar e não precise fazer mais nada além de cafuné?

21.10.02

preciso dormir, preciso dormir, preciso dormir. sai de mim, pazuzu!

pronto. eu precisava exorcisar o meu medo d'o exorcista (ficou bom o trocadilho, ha ha). hoje eu aluguei o dvd com os 11 minutos a mais e aquele bla bla bla todo pra assistir SEM ANTES COMER BRIGADEIRO DE MACONHA. foi bom eu ver que o filme não dá aquela pânica toda. e, puta la mierda, que filme ducaralho. muito bom pra época. imagino minha mãe sentindo medo vendo isso lá nos anos 70, hihihi. prestei atenção nos monstros que aparecem a toda hora rapidinho, no vômito de abacate, na cena da escada - que é um luxo. curti. mas vou contar a verdade: eu precisava mesmo era de subsídios pra fazer uma boa imitação do meu novo analterego: REGAN. quer dizer, na festa do sábado eu ganhei dois analteregos: KÁITA, a ceguinha do interior e regan, a possuída safada. tenho personas para todos os gostos.

agora tou aqui sem sono e precisando dormir pra madrugar na federal e fazer minha matrícula. será que eu vou sonhar com regan gritando FUCK ME, FUCK ME, FUCK MEEEE? ai, meda. vou trazer o gato pro quarto.

que gato apático do caralho

20.10.02

ah, teve tanta coisa engraçada nesses dias na feira do emprerendedor que às vezes eu até me esqueço. durante todo o dia, o pessoal da telephone colorido, que foi contratado pra ficar na frente do nosso estande entrevistando quem passasse, perguntavam a clássica o que é design? as respostas, obviamente, caminhavam de absurdas pra fuderosas num piscar de olhos. aí tinha uma mocinha do estande da frente que ficava volta e meia olhando aquela bagunça do estande da gente, gente cortando EVA no chão, picotando papel, brigando, mexendo no computador. ela chegou pra cuquinha e michael da telephone e disse que "aquela moça ali é bem diferente, né?" e completou com a melhor resposta do mundo: design é liberdade hardcore. ashhashahsHAHSHahhss ashd ugh.
cês viram a capa da veja dessa semana?
bom, finalmente a feira terminou. a exposição das cousas que fizemos durou pouco mas tudo ficou divinamente lindo. LUXO E RIQUEZA. raquel jóias ficou a própria coisas da barbie, verde e rosa cheguei e muito brilho e muito luxo. no fim, todo mundo tava exausto mas queria comemorar tomando uma cerva juntos, professores e alunos. aí fomos pro paquecas e tia ana andrade pagou nossa bilita.

na seqüência rolou uma festinha em olinda, na praça do jacaré. foi legal, tinha um monte de gente conhecida e tal. não sei o que deu em mim, mas eu tava muito feliz, saltitante e mutcholoca. sério, bebi só algumas cervejas, mas eu tava com humor legal, coisa rara. então fiquei dançando sem parar all night long, imitei ceguinha pra perturbar com mateus-fofinho, e ainda dancei sendo possuída. por sinal, meu nome agora é REGAN e não mais BOTOX.

só que sei que foi assim. saímos de lá já de manhã, mas antes ficamos brincando na mobilete de fernando peres.

18.10.02

trabalhando pra caralho, eu tou. além das 4h do estágio, ainda fico mais 6h na feira do empreendedor essa semana. tem um estande da universidade lá, só luxo e riqueza e nele funciona uma espécie de escritório de design ao vivo e a cores. a gente (estudantes de design da ufpe) circula pela feira, visitando estandes, observando os produdos e identificando problmeas de design nesses produtos. depois faz-se uma triagem e soluciona os problemas dos escolhidos. e sábado rola uma exposição das nossas soluções. agora pense na correria.

mas é muito divertido andar pela feira. você vê muita aberração, até porque a maioria das coisas são artesanais. mas o que mais me deixou incrível foi o estande dos inventores. de verdade, me impressionei com a criatividade da galera. tinha a escova de dentes que já vem com pasta embutida, "para você usar apenas uma mão pra escovar os dentes" (???), o banquinho pro quadro da bicileta, pra você levar sua gatinha de bike pra escola, entre outras coisas fantásticas. mas o mais legal foi o CAIXÃO DOBRÁVEL. sim, um caixão feito com tecido que você dobra e fica pequeninho. "pra quê?", tu pensa. pra quando tua hora chegar você já ter onde esticar as canelas. dêem uma olhadela no folder para sentirem o drama da coisa:


escolha o seu modelito ainda em vida

bom, agora eu ali fazer a marca da RAQUEL JÓIAS.

15.10.02

como seria um editorial BLZ do cardoso, por exemplo, nos tempos do COL:

Hah maix de doze howrax xove ininterruptamente em Porto Alegre. Xove, xove e xove akela xuvinha enjoada, a xuvinha molha-bobo, bem devagar, parece um gato se expreguixando e dah uma vontade de ficar deitado embaixo dox cobertores e naum sair de ksa pra nada. Max Ae tem awla de foto, hj tem contato, e eu tow goxtando de tirar fotox e revelah-lax dpois, entaum no sacrifihcio, vow. Diax de xuva saum maravilhosos, eu sei. Adoro o cinza do cehu, o xeiro de terra molhada, de asfalto molhado, de k-belo molhado, de pele molhada. Adoro o perfume q a pele feminina molhada exala nexex dias. Grande Mojo, excelente lembranxa a dax mulherex molhadax de xuva e suax pelex finas, maciax e frias. Em algumax howrax serah maix frio e noite. Escrevo exte editorial àx duax da tard de quarta-feira, penso no amanhã, no dia 27. Dia exe em q completo 20 anos. Grande coisa, diriam uns, entre elex eu. Aniversahriox soh servem para nos lembrar q somox finitox e q a howra da morte se aproxima. E servem, claro, pra ganhar agradox e mimox de pexoax q a gente expera e de pexoax q a gente nunca havia prextado mta atenxaum, max q dpoix de um telefonema ow um cartaum, ow meixmumo um abraxo sincero, comexam a viver maix coloridax em noxas lembranxas. Quer dz q amanhã faxo 20 anos. É tempo, naum eh? Segunda dehcada. Muita gente reclama q ox anox paxam k-da vez maix rahpido, q o tempo parece encolher conforme se awmenta a idade. É a consciência do fim, eh o saber ke acabaremox e a angúxtia de tentar correr atrahx do tempo perdido. Aox meux olhos, meux 20 anox fowram mto bem aproveitados. Coxtumava reclamar da velocidade do tempo, coxtumava perder a conta dox diax e acordar no meio de junho axando q era janeiro. Max um dia, k-minhando \"pelax alamedax de Porto Alegre, Mercadaum ateh Bonfim\" (dah-lhe Júpiter), vi uma menina mto bonita, num dia mto ensolarado e mto frio. Seux olhox mto azuix e o k-belo quase branco de taum loiro me desviaram a atenxaum por algunx segundos. Na k-miseta q aparecia por debaixo do ksaco, uma frase: \"Carpe Diem\", aproveita o dia, axo q eh da ehpoca do Iluminixmo, exprexaum latina. Aproveita o dia. Comecei a pensar nakelex lemax de AA\'x da vida, do tipo \"Viva um dia de k-da vez\" e trexox do clahxico \"Far away...so close!\", do Wenders, com as consideraxõex a rexpeito do dia, de q naum exixte ontem nem amanhã, eh sempre hj, soh o q muda eh a posixaum do sol. Olhei nox olhox da menina e sorri. Ela retribuiu o gexto e continuamuuuux noxos caminx na Rua da Praia, sem olhar para trahs. Eu, ao menos, naum olhei. Extava bêbado com a lucidez. Algo fez sentido. Hoje, quase treix anox dpois, me vi sentado na sinuca, olhando ax minhax fotos no contato, com ax maumx e a rowpa ainda sujax de quihmicos. Olhei em volta e axei q extava, afinal, aproveitando o dia. Voltava pra ksa dirigindo o meu k-rro, debaixo de xuva, desviando dax poxas d\'ahgua e cuidando ox expelhos. Pensava no q haviam me dito, sobre o inferno axtral ter seu inihcio um meix antex do aniversahrio, qdo acaba, dando inihcio ao parAeso axtral. Inferno axtral? Do jeito q eu ando, se melhowrar extraga. Axo q eu sow ao contrahrio. De qualker forma, havia me eskecido da menina, nunca maix pensara nela, mas eventualmente a exprexaum vinha à minha k-bexa em letrax gigantex e dowradas: \"Carpe Diem\". Max hj, e soh podia ser num dia como hj, na eskina da Ipiranga com a Azenha, a meixmuma eskina em cuja k-lxada jah subi me reservava uma surpresa. Contornando cuidadosamente a curva, olhei para ax pexoas. Um xeirador de cola de doze anos, todo coberto de trapox de plahxtico. Uma mulher aprexada, com frio, toda molhada no seu k-rdigã vermelho. E bem na eskina, bem na eskina onde jah paxei com ox pneux de meu k-rro, ela. A menina do \"Carpe Diem\". Com o roxto abatido, k-belox molhados, descontente com a xuva. Olhow para mim, mas certamente naum me reconheceu. Nem sei ao certo se era ela meixmuma, max se naum for, jah fez o efeito. Agowra kero aproveitar maix exe meu dia molhado de maio. Amanhã completo 20 anos. Se naum xover, aparexam na Fabico de tard para a Chinelagem Black Music. Prometo extar de aniversahrio. I\'ll be drinking. Meu aniversahrio, nada maix q palavras Que maix poxo dz? \"Pode dz qualker coisa - saum soh palavras E dax palavrax pode-se dz q saum escravas Podem fazer homenx trixtes, mulherex bravas Podem te acordar do sonho q sonhavas\" Acabo de voltar ao tcdo, quase dez howrax dpoix do poema. Valeu Hermano e Karina, Carlos, Galera e Clarice, Gaby, Egs, Emiliano, Müzell, Maia, Isa, Santi, Giuseppe, Drehgux e Frank, pela xinelagem da noite. Expecialmente pro Frank e sua Graforrehia em maix um show memowrahvel.*

isso mesmo, tudo o que precisávamos: um mircalizador**. usarei.

*catei um editorial antigo aqui na minha pasta COL, e esse aí foi tirado do número 68. faz tempo, né? 98?
**roubado do blogue de flávia

14.10.02


oiii, quer ser meu amiguinho?
sabe aquele lance de que todo crítico de música é um músico frustrado? pois. essa sou eu. não que me considere uma crítica de música, mas sempre fiz bem o tipo de falar mal (ou bem) das bandas, enquadrá-las no tempo e espaço e dizer o que cada uma chupou do que. altas pretensões, eu sei, mas todo mundo tem seu podre adolescente. a grande diferença é que os críticos de hoje levaram essa baboseira toda a sério e hoje ganham dinheiro com isso. eu fui mais sensata.

mas voltando ao músico frustrado, me considero perfeitamente uma musicista frustrada. primeiro, meu pai é músico. meu irmão mais novo começou na flauta muito cedo. meu outro irmão arranha um violão. todo mundo na minha casa gosta de música. sempre tive uma variedade enorme e um acervo gigantesco em casa. informação não me faltava. mas quando fui tentar aprender a tocar alguma coisa, fudeu. comecei no violão, com uns 12, 13 anos. odiei o professor na primeira semana, quando ele perguntou se brand new cadillac do clash era tema do batman (acho que já contei essa história aqui). aí resolvi deixá-lo com suas agulhas de acumpuntura. explico: ele era gordo, óculos fundo de garrafa e meio bicha. e tava com umas agulhas sebosas enfiadas na orelha pra ficar magro, segundo ele. até acredito, mas era muito agonizante olhar praquelas agulhas na orelha do sujeito. sem falar que a aula era na única sala do segundo andar do colégio, às 19h30 da noite, quando só os porteiros ficavam na escola e eu fiquei meio temerosa de ter aula com um gordo, bicha e que não conhecia the clash (ok, eu só tinha 13 anos). e que ainda por cima me ensinou caminhando e cantando e seguindo a canção como primeira música num violão. malditos filhos de hippie!

meu trauma seguiu somente com a vontade de aprender bateria no primeiro ano e de aprender baixo nos anos seguintes. nunca consegui. ainda peguei no baixo algumas vezes, mas nunca fui muito disciplinada pra nada e aprender instrumento é, antes de mais nada, disciplina. não tenho e não consigo ter. eu meio que desisti de aprender qualquer coisa, até porque já tava ficando velha e fica cada vez mais difícil aprender qualquer coisa com idade avançada. aí meu pai deu a gente a flauta transversal dele, que tá quebrada. disse "conseretem e é de vocês". mas ninguém aqui move a bunda pra consertar nada. mas era a minha chance de aprender alguma coisa, até porque eu já sei fazer aquela boquinha de tocar pífano. sem falar que é um charme mulher tocando flauta transversal, né não?

mas eu já quis ter banda. na real, eu SEMPRE quis ter banda. como nunca soube tocar nada e me acho uma negação cantando, nunca rolou direito. mas já rolaram os projetos, sacomé.

A NOIVA DO ÁTOMO: essa foi uma banda que chegou até a ensaiar. era eu, simone, haymone, carlos, rafael e danilo, mas como danilo tava viajando, foi césar quem tocou bateria no primeiro e último ensaio. e como o rafa tava doente, eu toquei baixo, hahaha. a gente tinha uma repertório montado com músicas dos stooges, my blood valentine, sonic youth e the fall. a banda acabou no primeiro ensaio porque simone achou que precisava treinar mais a guitarra. nunca mais voltamos a tocar.

SWARZHENNE: esse era o nome do projeto de banda que eu tive com camilo punk, pedrão e alessandra, uma menina que fazia cursinho comigo e predrón. nunca rolou nem encontro da banda, mas eu até fiz umas letras insanas. ah, a banda era pra ser psychobilly.

deve ter rolado outros projetos, mas a memória aqui começa a falhar. seria legal se tivesse rolado algo e eu sempre me instigava em ter banda quando ouvia coisas como x-ray spex, porque eu achava o máximo aquele jeito gasguito da poly styrene cantar. achava que eu poderia conseguir e ainda acho que consigo. não tenho voz boa pra cantar, sou tímida pra caralho mas até fico afinadinha quando bebo.

bom, agora eu sou uma senhora velha e gorda com 22 anos na cara e não posso mais ficar com sonhos adolescentes. mas se alguém tiver a fim de montar uma banda de brincadeira pra fazer show no garagem, avisaê. tou topando vestir mini-saia com meia arrastão.

13.10.02

além de estar com o pé no gesso, agora minha mãe resolveu perder a voz também. além de ter que ficar fazendo tudo pra ela (lavando louça, fazendo comida, café) eu ainda tenho que ligar pras amigas dela pra dar recado. muito legal.
ontem teria um show da mombojó, se rafael não fosse tão retardado. um dia antes ele avisa pros outros integrantes do show e alguns tão viajando e coisa e tal. resultado: três deles estavam lá, prontos pra tocar o que fosse. samuel e rafael ainda passaram a tarde fazendo batidas eletrônicas pra substituir o baterista, mas não arrumaram sequer um discman. são muito retardados, ou relaxados, o que é bem melhor. resultado: eu e ivi íamos fazer backing vocal, mas na hora ninguém teve coragem de subir, porque foi muito patético. arrumaram um baterista de última hora lá, que não sabia muito fazer umas batidinhas quebradas e vamos nessa. heheh. até minha irmã de 7 anos, raquel, foi pro show, com a intenção de dar uma de chacrete.

o resto da noite seria meio que perdida, rondando pelo antigo. foi quando descobrimos que a festa no armazém 14 não seria 5 contos, mas sim À BORLA. foi o que salvou a lavoura. tinha pouca gente no início mas, naturalmente, foi enchendo à medida que descobriram que era de grátis. o som tava até razoável, com dj dolores, renato l e outro sujeito lá. e assim, o dia foi salvo, graças a... a... jaga.

12.10.02

o show dos loser manos foi ducaralho, como previsto. completamente lotado, como previsto. mas era MUITO LOTADO MESMO, como há muito eu não via, do tipo de não conseguir respirar às vezes. acho que desde quando eu ia pros shows do planet hemp e raimundos lá pelos idos de 95, 96 eu não era tão pisada e empurrada. mas confesso que o público foi maneiro, educado, não fizeram rodinha de pogo porque era simplesmnete impraticável, e a última coisa que a turma queria era contrariar as leis da física, pelo menos naquele momento. o show foi até longo e muito bem equilibrado entre os dois discos, o que é uma coisa muito boa. e tocaram hollywood, que massa. os caras, obviamente, ficaram surpresos com o fato de TODO MUNDO cantar praticamente tudo. e eles têm uma presença de palco massa, são simpáticos pra caralho.

uma pena que acabou cedo demais e as pessoas foram indo embora, porque o som mecânico tava perfeito. depois reclamam que não toca coisa boa nas festas daqui.

11.10.02

uma pérola da banda céllebro:

Mulher pelada

Alô, pois não, eu gostaria de saber se tu tá doidão
Alô, pois não, eu gostaria de saber se tu tá na mão

Mulher pelada, mão biônica
Mulher pelada, mão biônica

Cumprimento playmobil, cumprimento playmobil
Cumprimento playmobil, cumprimento playmobil
Cumprimento playmobil, cumprimento playmobil
Cumprimento playmobil, cumprimento playmobil

Naquela noite que eu te conheci
Você apenas me observou
Eu nunca me esqueci
Aquilo que você me mostrou

Mulher pelada, mão biônica
Mulher pelada, mão biônica

Cumprimento playmobil, cumprimento playmobil
Cumprimento playmobil, cumprimento playmobil
Cumprimento playmobil, cumprimento playmobil
Cumprimento playmobil, cumprimento playmobil

Mulher pelada
Mulher pelada
Mulher pelada
Mulher pelada


alguém pode me explicar o que vem a ser cumprimento playmobil?
valheu, edufo:

Indie: grupo de pessoas de classe média, geralmente entre 20 e 30 anos, que
usa visual inspirado em bandas pop britânicas, cultiva um fetiche por bandas
desconhecidas (mesmo que sejam ruins ou meras cópias das famosas).

O indie costuma explicar sua vida por meio das músicas que ouve ou pelo
menos relacionar fortemente as duas coisas. Na maior parte do tempo está
depressivo e/ou cabisbaixo. É adepto do resenhismo tântrico, forma de
cultivar os antepassados da finada revista Bizz.

Não há garis, pedreiros, engenheiros e bancários entre os indies. Quase
todos dizem que são jornalistas. Por isso não gostam de pagar por cds, nem
pra ir a festas. Gastam dinheiro com cervejas, que sorvem enquanto exibem
seus conhecimentos oriundos da coluna do Lúcio Ribeiro (que vem da NME) uns
pros outros.

Mais detalhes no Discovery Channel.
gente, tou preocupada com meu gato. eu sei que ele não anda batendo bem dos juízo, já passa dos 10 anos e vive como um velho babão em casa, comendo e dormindo. nem caçar moscas ele caça mais e quando o faz é uma vergonha. meu maior orgulho foi quando ele matou um morcego, mas acho que foram dogras na ração. enfim, tá meio retardado, o pobre. mas hoje xampaul passou dos limites. eu acordei e a primeira coisa que ele fez foi miar, miar pra entrar no quarto. deu um pulão na minha cama, todo mião e fofo e foi direto cheirar a quina da mesa do computador, que ele gosta do cheirinho. meu celular tava por ali. sabe o que o filhadaputaescroto fez? simplesmente derrubou o telefone com a pata. assim, como quem não quer nada. derrubou. dei uns gritos no escroto e apanhei o celular todo desmontado no chão, tampa prum lado, bateria pro outro, visor pro outro. tá funcionando beleza, mas se não tivesse, xampaul ia ter o mesmo fim trágico do gato gordo. mas o pior foi que o escroto seguiu direto pro quarto do meu irmão e CAGOU NA CAMA dele. esse puto precisa de umas lamboradas mas eu simplesmente não consigo não colocar ele no braço como um bebezão.
porra, a minha chance de escanear um soldadinho se foi pelo ralo. vim andando da reitoria até em casa e um soldadinho pousou no meu braço. no susto, atirei ele longe. depois fiquei pensando na chance disperdiçada, já que o soldadinho é bicho em extinção, ou, como pensávamos, que era um produto exclusivo dos anos 80.

10.10.02

acho que hoje foi a primeira vez que eu tomei uma cerveja no meio do expediente de trabalho. como ontem eu fui uma inútil o dia todo de pijama, tive que compensar minha falta hoje, ficando 8h no estágio. no almoço, fui com meus colegas amélia e ant6nio num bar que tem a melhor carne de sol que eu já comi em anos. sinceramente, tá barrando a carne de sol do cunha, considerada a melhor da cidade. fica ali por trás da sudene, bem legalzinho. acho que é uma churrascaria, hehshsa. até casinha da árvore tinha, o que me fez pensar seriamente em ir almoçar nela. e pedimos uma cerveja pra acompanhar essa maravilha nordestina que é a carne de sol. mas, vou te dizer, que carne de sol! macia, molinha, no ponto. e a cerva gelada como tem que estar. ok, a cerva não melhorou meu ânimo de quem dormiu menos de 5h na noite anterior pra ir trabalhar 8h, mas foi um feito histórico na vida de uma bebum. podem crer.

9.10.02

podem acreditar. são 4h da tarde e desde que eu acordei eu tou na frente do meu computador. de pijama ainda. e com um mau humor terrível.

8.10.02

por que eu fico tonta toda vez que eu faço 30 minutos de esteira? mesmo ficando tonta, eu acho muito legal andar sem sair do canto. eu gosto de andar rápido na rua, sempre tou apressada e quero chegar logo no destino. mas isso é praticamente impossível aqui, já que a leseira do povo é sem tamanho. tem gente que anda olhando pro lado e bate em você, têm as pobres senhoras que andam a passos de formiguinha com seus guarda-chuvas floridos e feios, tem o povo que vai conversando coisas absurdas e não tá muito aí pra quem tá atrás (mas desses eu gosto de ouvir a conversa). enfim, é praticamente impossível andar sossegado nessa cidade. na esteira não, eu ando 30 minutos sem parar vendo clipes ruins na mtv ou a novela das seis. é muito maneiro. e eu posso andar a 7km/h numa boa e em seguida a 3km/h e depois voltar aos 7 e aumentar pra 10 pra correr. acho djóia. mas fico tonta.

e continuo tendo verdadeira ojeriza àquela maquinaria da musculação. além de eu ser peso pena e não conseguir levantar mais de dois pesinhos daqueles, dói demais, meu véio. e é muito artificial. não consigo conceber como as pessoas ficam sequinhas só fazendo musculação, não consigo. e eu fui dizer ao professor que odiava musculação com todas as minhas forças. ele disse que era efiecienete, que você via resultados mais rápido. ãhn, como assim resultados? "meu querido, eu não tou aqui pra virar a feiticeira, não. quero perder minha barriga e só. me deixe com as minhas celulites das coxas e da bunda. eu gosto delas. só quero tirar minha barriga, só isso, entendeu?" sabe o que é que o fi-de-quenga me disse? "pare de comer". puta que pariu, o cara quer que eu tire minha barriga parando de comer. ah, não, palhaçada, né? eu disse que era impossível. se eu parar de comer um dia eu emagreço três quilos. eu não quero emagrecer, quero perder a barriga. pra mim isso é tão simples, tão simples que não entendo porque complicam tanto. já tou vendo que vou acabar em duas palavras: barrigão e musculosa.

mas não contei o melhor: saindo da academia, suada pra caralho e morrendo de sede, caiu o maior toró do mundo. acho que essa é a situação em que eu mais pediria pro sol se esconder e pra são jorge jogar um baldão d'água aqui: completamente suada e sedenta. como foi bom. acho que desde que tenho 9 anos não sentia tanto prazer tomando um banho de chuva. pena que acabou antes de eu chegar em casa.
acho que já é a terceira ou quarta vez que eu sonho me deliciando com um cigarro, dando tragos longos e prazerosos. não sei o que isso pode significar, já que eu sou a pessoa que mais detesta cigarro no mundo.
faz uma semana que eu não piso na academia. e só fui uma única vez fazer aula lá. mas é que da vez que eu fui, eu passei 1h30 fazendo exercícios sem parar, mesmo estando parada há quase três anos. resultado: quatro dias com as costelas, aqueles músculos acima dos peitos, os braços e principalmente as pernas doendo muito. teve um dia que nem sentada eu conseguia ficar. dessa vez vou maneirar pra não tomar no cu depois. agora basta parar esse dilúvio que eu vou malhar. mas vocês sabiam que eu emagreci 2kg? não sei como isso aconteceu porque eu não fiz regime nem nada. será que eu vou voltar a ser magriça pra sempre?
é, não vai ser dia 10 não. recebi isso de uma lista de discussão:

Show de Los Hermanos:

11.10 - Recife/PE
Local: Armazém 14 (Recife Antigo)
Horário: 22h
Ingressos: R$10 (antecipados nas lojas Bali e na bilheteria do Armazém 14)

7.10.02

não sei se vocês lembram desse post, publicado um dia depois do show de marky na féxion (dia 16 de setembro):

ah, e na fila da saída aconteceu um lance muito bizarro. um coroa com seus 40 e tantos anos, quase 50, cabelos meio ruivos, olhou pra mim assim, assim, e perguntou se eu era filha de fernando. tomei um susto mas fiquei calada, com aquela cara de retardada. insistiu e perguntou o nome do meu pai. "fernando". e da tua vó? "maria luísa". ele apresentou as pessoas que estavam com eles como "netos de luís torres", que penso ser irmão da minha vó. ou seja, se o sujeito aquele for o pai daqueles três que ele apresentou com como sobrinhos-netos da minha vó, ele é primo do meu pai. logo, meu primo segundo. nossa senhora. olha só o lugar onde eu vou conhecer um coroa que eu creio ser primo do meu pai: na fashion club. que vergonha!

pergunta: como ele adivinhou que eu era eu, se eu nunca na minha vida inteira vi a fuça aquela figura?

e tem mais um lance bizonho nisso tudo. fui contrar à minha mãe do ocorrido e ela perguntou o nome do sujeito. nicolau. "ah, cecília, ele é o pai daquele menino da foto, o que tem o coco parecido com o seu". ahn, explico. tem uma foto minha bebê que eu estou de perfil junto com outro bebê da mesma idade, também de perfil, e é impressionante como parecemos gêmeos. eu tenho um troção grande na cabeça, um coco ducaralho (quem já me viu de cabeça raspada pode confirmar) e o guri tinha igual. sem falar no nariz, tudo era igual. só que ele era bem mais gordo e maior que eu. ahn, vou tentar achar agorinha essa foto, escanear e publicar aqui procês. esperem.


pronto. achei a tal foto fuçando meu diretório de fotos, já que naquele dia não achei nem a original pra escanear.



reparem bem no cabeção do nenéns. no perfil. olha o narizinho como é igual. eu sou essa menorzinha aí, a do lado esquerdo de quem entra. mas o melhor de tudo é cara de QUE BELEZA! do meu tio francis. hshashsh, só alegria.
nunca façam brigadeiros aditivados pra depois irem ver o exorcista, ok?

e nunca acreditem em pesquisas.

5.10.02

ahn, sim. no saite dos loser manos não tem nada falando sobre o show do recife no próximo dia 10. inclusive pula essa data direto pro show de fortaleza dia 12. só rumores por aqui. mas ontem eu vi minha chefe fazendo aqueles lambe-lambe (aqueles cartazes sebosos de muro, bem grandes) do show deles. então, ó, confirmadíssimo. chorarei.
ai, jésus, essa lei seca vai ser de matar, hum? além de não ter bar aberto depois da meia noite (não, nem adianta dizer que não vão vender mas estarão abertos porque não voga), não vai ter festa nenhuma e se a gente quiser se divertir entorpecido em alguma festa particular, tem que comprar logo o material. ah, mas como eu queria estar deitada, tomando banho de... er, ok, de nublado na frente duma piscina, de preferência regada a cerva e picanha. EU QUERO MUITO. e necessito de uma coca cola, urgente, e gelada.

ahn, a festa ontem foi legal, apesar de (quase) tudo ter dado errado. a cpu de matias simplesmente parou de funcionar. e nela tinha as emepetrês legais que iam tocar na festa. bichinho. tiveram que se virar com um som dando pau o tempo todo. mas foi legal, apesar de já ter se tornado meio repetitivo o repertório das festas cavanísticas. e o vídeo de júlio (o motivo da festa) é bem legal.

3.10.02

uia, "kids trepando". pedófilos perversos. no mínimo deve ter batido aqui um empresário gordo, suado, com uma lata de coca light na mão (como se isso fosse sanar seu problema de gordura e sedentarismo) procurando fotos de pré-púberes sem pentelho se esfregando. argh, nada me dá mais nojo.
algum complexado entrou aqui procurando por "fotos pessoas gordas". opa, veio ao lugar certo! o mais engraçado é que na mesma pesquisa, o primeiro site que apareceu no google foi esse aqui. xoxota.com.br? credo, como tem gente estranha no mundo. aliás, xoxota é um nome muito engraçado. e mais engraçado é que MEU PAI usa o termo freqüentemente, inclusive com minhas irmãs pequenas, de 7 e 9 anos. tanto que quando raquel era mais nova, fazia uma cafusão dos infernos e chegou a perguntar se meu pai tinha limpado a xoxota, ao sair do banheiro. trash.

outro entrou aqui procurando por "fotos de gente trepando". não, realmente ainda não possuimos um acervo tão legal como o da turma da fgv, mas prometo que dentro em breve faremos uma festa tão legal como aquela, com direito a cafofo, web cam e transmissão ao vivo pelo inernet, tá bom?
ah, vocês não sabem a surpresa que eu tive ao chegar em casa e ver um baita envelopão à minha espera. LOTADO DE FANZINES. é muito massa receber correspondências, não acham? eu acho melhor do que receber e-mails, sério mermo. acho que é porque eu passo 76,5% do meu dia acordada aqui na internet então nem é tão OHHHHH receber um emilho, né? mas carta eu gosto. e quando vem lotadinha de coisas assim, melhor ainda. brigada, andrezinho, amei.
esqueçam meu antigo apelido NELSON. meu nome agora é BOTOX (© eduf).
da série: convesas bizarras no icq com sujeitos que aparecem do nada

^Arcanjo^ 3/10/200 11:54 oii

c e c i l 3/10/200 11:54 opa

^Arcanjo^ 3/10/200 11:54 de onde tc?

c e c i l 3/10/200 11:55 da casa de mãe.

^Arcanjo^ 3/10/200 11:55 onde vc mora?

c e c i l 3/10/200 11:55 aqui na casa de mãe.

^Arcanjo^ 3/10/200 11:55 q estado?

c e c i l 3/10/200 11:56 no estado que mãe mora.

^Arcanjo^ 3/10/200 11:57 legal

2.10.02

não votem por paixão. usem a razão. exijam CULTURA.

essa pérola foi retirada do muro do PSB - pronto socorro das baterias, que fica aqui, na avenida caxangá. desde que eu me entendo por gente e sei ler, o dono dessa bagaça escreve coisas do tipo no muro do pronto socorro. apesar do nome do recinto aparentar ser de um comuna, o cara é um reaça do caralho. chega a ser engraçado. não sei com que freqüência ele atualiza o mural, mas SEMPRE tem alguma coisa exaltanto o governo e botando pra foder no PT e adjacências. seria engraçado se fosse tiração de onda, mas o cara fala na vera mesmo. alguém aí lembra de alguma outra inscrição mural dessas? tou a fim de colecionar e fazer umas camisetas. o cara é gênio mesmo.
pronto. acabou. agora é só esperar o resultado.

sim, o teste hoje foi legal, apesar de ter ficado muito, muito surpresa. imaginei que fossem testar meus (ham ham) conhecimentos de dreaweaver e flash. mas não. a "tarefa" era criar um layout pro jckids, um portal infantil do jc. putz, trash, meu. pensar nisso no fim de uma tarde com os músculos doídos é péssimo. mas vamos lá. fiz. não ficou lá uma brastemp, mas ficou gracioso. agora é só esperar pra ver o infeliz que fica. não quero mais pensar nisso, não quero mais pensar nisso.

marrapaz, e num é que os músculos da minha coxa resolveram doer só hoje, dois dias depois que fui pra academia? pois é. parece que levei uma pisa de cafetão em prostituta. além de enfrentar engarrafamento nos quatro cantos, tive que agüentar dor nas pernas, daquelas em que mal tu consegue andar. é, acho que vou passar gelol e dormir cedo, melhor que eu faço. aê.
ontem assisti ao filme italiano pão e tulipas. é bem pastelão, meio bregoso, mas muito engraçado nesse exagero todo. deu pra rir um bocado. depois a gente foi lanchar no habib's... digo, naquela pracinha ali perto do laça burger. compramos zilhões de esfihas e coca cola e fomos farofar na praça. menina, todas as árvores daquela praça são feitas de massa folhada. sim, de massa folhada. a gente deu murro, chutou, bateu com a cabeça e simplesmente não machuca. é fofinha. me lembrei dos pastéis (empada não) de nata sagrados que o pai de tiaguinho faz. ai madonna, aquilo é um sonho, um manjar dos deuses. é simplesmente uma delícia. a massa é uma massa folhada super ultra crocante mas ao mesmo tempo macia. o recheio de nata é uma coisa inexplicável. a recieta é portuguesa e secreta, tipo biscoitinhos das monjas virgens beneditinas. pois bem, tiago levou três desses pastéis pro bureau, um pra mim, um pra léo e um pra moca. aquilo foi dos prazeres mais bizarros que senti na vida. não sei explicar. se quiserem o telefone da casa de tiago pra vocês encomendarem os pastéis, eu dou.

ahn, no fim da noite, sem saber muito pra onde ir, eu, vicente, cláudio e flávia fomos bater naquela merda da terça negra, no pátio de são pedro. acreditem ou não, senti um treco estranho logo que cheguei lá. comecei a sentir uma agonia por dentro, não sei bem explicar o quê. só queria ir embora dali. decidimos tomar uma cerveja num bar da redondeza. tava quase dormindo na cadeira quando dei o ultimatum "vamos nelson, galera. não quero mais ficar aqui". quando íamos pagar as duas cervejas, rolou uma briga de mulher ali perto. briga feia mesmo, garrafas e cadeiras voando. nem deu pra ver direito, porque vicente me pegou como superman e eu nem entendi nada muito bem. fim de noite jogando isketch na casa de flávia :/

agora de tarde tou indo no jc online pra a última fase do processo de seleção (esse foi o processo de seleção mais queijudo do mundo). não sei extamante o que vai ser, mas deve rolar um lance mais prático, onde eu vou me foder bonito. ah, a mulher lá quando ligou perguntou se eu tinha um portfolio. ai, vergonha. sabem que eu nunca consegui fazer um portfolio na vida? nunca. sempre comecei, mas abandonei no meio. tou fudida. ahn, peguei uns trabalhos aqui e ali, algumas coisas que consegui juntar no meio de tanta merda e vou levar. pessoas, mandem energias boas pra mim nessa tarde porque eu precisarei.