29.11.02

ahn, eu nem contei que emagreci nessas duas ou três semanas, né? pois é. perdi 3,5kg no total. tou visivelmente mais magra (já que qualquer quilinho a mais ou a menos em mim é muito visível). é, não sei se digo que tou satisfeita ou que não tou. pelo menos a barriga sumiu um bocado.
pronto. praticamente tudo certo pra nossa mudança. a gente foi lá essa semana conhecer os velhos donos da casa com nossos pais e mães. foi limpeza, aquela coisa de explicar as "regras da boa convivência naquele lugar pacato". o velhinho, seu francisco, é gente boa. tem um marca-passo. e implorou pra não ouvirmos som alto dentro de casa, em hora nenhuma. hehehe, bom, se eu quiser matar o véio, já sei como fazer. moca até pensou em comprar uma bateria, mas eu acho que aí também é demais. bom, no fim das contas a conversa foi além do que eu esperava. já imaginava que ia sair dali pra procurar outro lugar mais legal. mas foi ótima a conversa. foi engraçado quando o filho do véio perguntou as razões da gente estar querendo ir morar ali, os três. eles não conseguiam entender porque a gente tava saindo de casa (se moramos em recife) com o consentimento dos nossos pais. aí foi quando minha mãe disse a maior lorota da paróquia (logo minha mãe, que não mente nunca) "é que eu tenho perspectivas de me mudar pro interior". ahshahshas, na hora eu olhei pra cara dela assim e pensei "putz, será que ela tá falando sério?". minha mãe mentindo pra me ajudar, essa é boa.

bom, agora os contratos já tão na mão, falta só a turma assinar pra pegarmos as chaves. já tou pensando em levar colchão e discos e computador pra lá, só pra já ir ficando. o sorteio dos quartos rolou. antônio ficou com o quarto da sacada (maldito) e eu fiquei com o maior. moca se fudeu com o cubículo. bom, agora é só correr pro abraço e marcar nosso casamento e chá de panela. desde já aviso aos locais: saqueiem coisas de suas casas, panelas, pratos, lençóis, tudo o que puderem. aquela mesinha encostada no quartinho de trás nos serve muito nesse momento de pobreza. se quiserem emprestar a empregada também será de grande valia. obrigada.

26.11.02

é, alguma coisa tinha que dar em merda. tava tudo muito perfeitinho pra ser verdade.

o véio proprietário da casa estilou quando soube que eram "três amigos" (e ainda achou que os três fossem homens e, muito provavelmente, gays) que iam ser os inquilinos. e o pior, ele é vizinho. pior do que vizinho chato (e velho) acho que só vizinho chato (e velho) e dono da casa onde você tá morando. então marcamos com nossos pais pra botar moral no véio lá e mostrar que essa será uma república de respeito.

ontem a gente tava até indo na trapeiros de emaús, um bregueço que penso ser uma ong que recebe doações de objetos usados e reforma pra revender a preço de água. isso pra comprar "móveis" pra nossa casinha. a gente chegou meio tarde (o troço, pra vendas, só funciona nas segundas, das 14h às 16h), mas ainda tinha umas coisinhas trimmassa lá. tinha uma cadeira de balanço daquelas da vovó por 10 reais. de resto, muito lixo também. mas moca comprou um bregueço daqueles de revelar foto preto e branca por 10 pilas e tonho uma máquina de datilografar laranjinha, bem filme de kubrick, também por 10 reais. eu comprei por 1 real um quadro com uma foto muito ducaralho de uma moça que parece mãe da gente em sua tenra juventude. aqueles óculos formiga atômica, aquelas coleiras que tão usando hoje no pescoço, com tachinhas e tal e uma roupinha massa. vamos dar uma limpada no quadro e dar uma warholização maneira pra ficar superdimaiz.

22.11.02

olha as pérolas que eu acabei de receber do compadre hélio:


reparem no charme do chiclete no cantinho da boca


essa magriça aí de cabelo preso é flávia. eu sou a descabelada de baixo

não faço idéia de onde nem quando seja isso, mas pela minha cara eu devia ter no máximo 12 anos. hélio garante que tínhamos menos, mas não revela a fonte das fotos. ganhei meu dia com essas.
eba! chegaram meus pedidos do submarino. eu adoro quando chegam esses pacotões pelo correio, realmente me dá um coisa gostosa por dentro com coisas que vêm com carteiros. vai ver é alguma tara reprimida por homens de roupa amarela e azul e bolsinha de lado, geralmente suados e sujos. sim, mas voltando aos coisos. pedi pro meu irmãozinho músico o livro de hermeto pascoal, "calendário do som". aí na hora resolvi incluir dois livros baratinhos, só pra ver se compensaria o frete - "a revolução dos bichos" de george orwell e "admirável mundo novo" de aldous huxley, por 6 e 7 reais, respectivamente - e, ohhhh!, o frete sumiu misteriosamente. maravilha! e com o preço que ia ficar antes, ganhei mais dois livros :)

mas me deixa falar um pouco do "calendário do som". eu não sabia que hermeto tinha feito esse livro e resolvi dar uma lida. segundo ele, lá por 96 ele começou a receber umas "mensagens intuitivas" que diziam que ele precisava compor uma música por dia durante um ano. e foi o que ele fez a partir do dia do seu aniversário. o livro, então, é composto com a partitura das 366 (porque ele não quis excluir os bissextos) músicas que ele compôs de 23 de junho de 96 e 22 de junho de 97. e é a reprodução da partitura mesmo, com os garranchos e desenhos dele no papel. a letra dele é a coisa mais engraçada do sistema solar. parece a letra do meu sobrinho de 9 anos. e ele sempre termina a música com as frases "viva o som" e "tudo de bom sempre, hermeto pascoal". eu achei aquilo tudo muito ducaralho. a devoção dele pela música é uma coisa fantástica. ele acredita que tem uma missão aqui e que a missão dele é fazer música e priu. isso é muito bonito, na minha opinião. como se fosse levar coisas boas para as pessoas através de suas composições. que coisa linda, minha gente. tive vontade de chorar no cantinho.

mas o mais lindo de tudo são as frases e reflexões que ele coloca no final de muitas dessas composições. parece uma criança falando, tamanha a incência. meu deus, é um doce esse hermeto!

pesquei algumas frases ao acaso:

"disse o mestre caranguejo 'só ando pra trás porque na frente não vejo ninguém pra me desafiar. corro até demais. viva eu'."

"compus essa música pensando muito nos aboios dos vaqueiros tangendo o gado pela estrada e às vezes até tendo que atravessar rios e riachos até chegar lá. tenho tudo isso gravado na minha mente. viva o som, as idéias, as nuvens e as estrelas coloridas"

"boniteza é a beleza da alma, junto com os sons e os animais que mesmo abandonados nos amam"

"um dia após o outro, é como as ondas do mar que se renovam sem parar. a música também embala a alma. viva a vida"

"a música é como o amor, não tem fronteiras; é também como pensamento que jamais terá premeditação alguma porque a morte também não tem. lindo é saber viver"

21.11.02

em outras épocas, eu seria punk. ou hippie. mas vamulá:


Who are you?

20.11.02

é. acho que tá mais próximo meu dia de mudança. mudança geográfica mesmo. não, não briguei com minha família. já tinha vontade de sair de casa, só pra sentir mesmo como é e ter a experiência de morar só ou dividir com amigos as responsabilidades de uma casa. acho que já tou na idade. ok, eu não me sustento ainda, mas minha mãe disse que acha legal que eu vá, pra aprender a dar valor a certas coisas. vou abrir mão de todos os luxinhos que tenho pra me foder e pagar contas mensalmente. acho que vai ser uma experiência engrandecedora, se rolar.

digo isso porque ontem meu sonho de morar em um lugar específico tornou-se mais próximo de ser real. pra quem não mora no recife ou não conhece o lugar, eu vou explicar.

quando eu tinha lá pelos 17, 18 anos, eu gostava muito de andar pelo centro, olhar as coisas, ir pro cinema do parque ou veneza, ver qualquer coisa. sempre adorei o centro. na real, acho que o centro de toda cidade é muito legal, sempre tem coisa muito massa de se ver. pois. um dia eu tava passando com meu ex-namorado mateus pela rua riachuelo e vimos uma ruela dessas que só passam um carro e no fim da rua um troço estranho, árvores e brá. seguimos pela rua e avistamos no fim dela um bar num chão sem calçamento e completamente cheio de árvores. maravilhoso e me lembrou muito o curupira, aquele bar perto da rural, no meio dos restos de mata atlântica. bom, na frente desse bar tem uma rua sem saída cheia de casinhas iguais. uma vila, aquelas vilas antigas, siligaram? o mais interessante é que é uma vila com cara de interior cravada no coração do centro do recife. é muito chapante o lugar.

ontem eu e antônio já estávamos procurando lugar pra morar, pra sair de casa e também pra abrir nosso escritório, o design remoso. e lembrei dessa vilazinha quando estávamos passando por ali por perto. não sei se foi coisa divina, mas na entrada da rua havia uma placa escrito "aluga-se casa nesta rua". quase choro. fomos até lá e a casa estava aberta, pra as pessoas entrarem pra conhecer. pense que ela é linda, parece uma casinha de bonecas. pequena, com um primeiro andar, sacada, terraço e três quartos. o tipo de casa pra se criar filhos pequenos. já imagino aqueles guris de 4 anos andando de tricículo, de cueca, com aquelas percatinhas de couro, catarro escorrendo e chupeta na boca. ai, que coisa linda!

e acho que já estamos decididos a ir pra lá mesmo. é o lugar perfeito, e é no centro, porra! só que a gente não tem mobília, não tem geladeira nem fogão. tem que comprar. sem isso, uma casa não vive. mas acho que com um chá de panela e boa vontade de nossos pais, a gente vai com fé. mais notícias, informo em breve. se tudo rolar e der certo, morarei na vila santo antônio n° 10 :)

18.11.02



gente, a que ponto chegamos, hein?
o baile funk

foi um sucesso. eu imaginava, tava sentindo que ia dar alguma coisa errada, não sabia exatamente o quê. mas tava sentindo. claro, deu um monte de merda no meio do percurso, estresses normais de quem organiza festa, ainda mais pra marinheiros de primeira viagem como nós e principalmente depois da repercussão que o troço teve.

o primeiro problema foi o fato dos djs chegarem perto de 1h da manhã quando a festa tava marcada pra começar as 23h. como eu sou uma pessoa providência gravei três cds com seqüência certinha pra o caso de dar alguma merda. e comecei colocando uma seleção que tinha funkadelic, sly, parliament e bootsy collins. quebrou o maior galhão e tivemos sorte porque a galera tava TODA lá fora e não entrava. finalmente moacir, quéops e cláudio chegaram com o passa-discos e tal e começaram lá. ninguém entrava. vai som, vem som e todo mundo lá fora. percebi que lá de fora ninguém ouvia porra nenhuma do som. sem falar que no bar que tem em frente à elfos tava tocando o maior pagodão, mais alto do que tudo. isso tudo porque as caixas de som da gente estavam viradas pra dentro da casa. depois da brilhante idéia de virá-las pra porta e trocar os funks maneiros pelos pancadões, as pessoas começaram a entrar eufóricas e a fazer fila na bilheteria. em coisa de meia hora a casa estava lotadaça. e foi quase a noite inteira de funks podreiras e a galera indo ao delírio. nunca imaginei que fosse dar tanta gente e que tanta gente fosse se empolgar com aquilo. foi realmente impressionante. eu adorei. tava cansada pra caralho, estressada pra cacete mas consegui me divertir MUITO e SEM UMA GOTA DE ÁLCOOL. passei a noite com uma garrafa de água mineral. hehehe. e foi isso. decidiram mudar o som e voltar pros negões muito tarde e a turma já tava cansada, inclusive eu. mas tudo nos rendeu uma bilheteria legal e fama de festa boa. perfeito.


o fim de semana

no dia seguinte, depois de ir com a minha mãe pro cinema - coisa rara - ver "fale com ela" e chorar muito, muito, recebo uma ligação de flávia com a brilhante idéia de vicente de ir pra maracaípe naquela noite na roubada e voltar no dia seguinte. eba, era tudo o que eu precisava! e fomos eu, flávia, aninha, vincent e carol. chegamos lá perto da meia noite e nem passamos na "casa de apoio" que íamos ficar. fomos direto lá pra vila e foi massinha. depois fomos dormir às 5h da manhã num quarto que definitivamente não era roubada - ar condicionado e caminha pronta pra quando a gente chegasse. maravilha, melhor impossível. e como dormir em praia é pecado, às 8h eu já tava de pé.

mas deixa eu falar da "roubada" em que a gente ficou. era coisa de cinema. uma casa enorme na beira da praia e cercada de coqueiros por todos os lados. acordar, ir praquele terraço maravilhoso, deitar na rede e ver o mar através dos coqueiros era tudo o que eu precisava depois de duas semanas completamente conturbadas e estressantes. mas como nem tudo é lindo, nem tudo são flores... vicente, flávia e carol precisavam ir no recife mas pretendiam voltar ainda naquela noite pra maraca. na hora em que eles iam embora, as véia mãe e tia da turma fizeram meio cara feia quando eles disseram que iam voltar. e rolou um clima meio chato, já que éramos quatro intrusas com o convidado (vicente). mas não foi nada demais, não. relaxei com isso. a casa era maravilhosa demais e aquela não era hora pra ter orgulho e procurar outro canto pra ficar - porque voltar pra recife eu não ia nem a pau.

e teve show de suvaca di prata, igual a sempre. teve gente conhecida. teve sol demais. teve lua linda. céu estrelado e coisas estranhas voando. teve brisa fria. teve beijo, abraço, beijo, abraço e carinho. teve cerva e feijoada. teve caranguejo, água de côco, dominó e baralho. puta merda, era tudo o que eu precisava pra ficar bem.

13.11.02

que festinha cu aquela de lançamento do filme "madame satã", hein? além de cheia de gente palha, os únicos homens bonitos perigavam ser gays. não que isso seja um problema, mas se torna quando você está a fim de olhá-los como mulher. hehehe. na realidade, eu amo demais os gays. eles são bem humorados, boas companhias e geralmente são lindos (talvez porque não tenham vergonha de cuidar do cabelo, pele e roupas). e assumo que sou muito mais homem nesse sentido do que todos os homossexuais que eu conheço. não cuido do cabelo (eu nem sequer penteio), não cuido da minha pele, como porcaria e não tou ligando muito pra tudo isso. enfim, voltando à festa. tinha até uns caras gatos lá, mas eu fiquei temerosa só de olhar. ah, a música. foi ruim, no geral, mas tocaram umas pérolas (desconhecidas pra mim) bem legais. "sunglasses at night", de tiga & zyntherius e um housezão nos moldes do fim dos anos 80 começo dos 90, bem massinha. ótimo pra dançar. vou colocar no cd do bailão! e miss kittin que a cka me indicou certa vez e é simplesmente fuderosa, ducaralhamente dançável (ninguém deve entender esses advérbios que eu invento, shahshah).

pois é, várias musgas do miss kittin e essa sunglasses at night tão há horas aqui no meu winamp.

12.11.02

ok, a gente merece. enquanto uns fazem polêmica desnecessária tentando fazer análise sociológica de uma simples festa, tem gente que apóia.
gente do céu. o baile funk está causando POLÊMICA.

eu só posso rir com uma coisa dessas.
Ciúme
[Do lat. *zelumen < lat. zelus < gr. zêlos, 'cuidado'; 'ardor'; 'inveja'; 'ciúme'.]
S. m. 1. Sentimento doloroso que as exigências de um amor inquieto, o desejo de posse da pessoa amada, a suspeita ou a certeza de sua infidelidade fazem nascer em alguém; zelos. [Nesta acepç. é m. us. no pl.]
2. Emulação, competição, rivalidade.
3. Despeito invejoso; inveja.
4. Receio de perder alguma coisa; cuidado, zelo.
5. Bras. N.E. Bot. Designação comum a arbustos ornamentais, da família das asclepiadáceas, de flores exóticas e aromáticas, vermelhas, róseas, lilás ou violáceas, e cujos frutos têm sementes arredondadas, castanho-claras, de filamentos sedosos, e com propriedades consideradas medicinais; flor-de-seda.

11.11.02

ahn, e esqueci de dizer de quando fomos panfletar lá na gayleria na quinta-feira. uma colega minha chegou e quando viu o cartaz na minha mão disse "ah, essa é a festa oficial do festival de teatro, né?". hsahshhas. disse que não, que quem tava organizando era a gente e tal. daí ela falou que a turma meio que adotou a festa como oficial do festival de teatro. porra, a gente começou a divulgar a festa na quinta de tarde na federal e já tava assim, espalhada no boca a boca. bateu um medinho na hora de dar muita gente e tudo dar errado. marinheiro de primeira viagem, sacomé. mas há de dar tudo certo até lá.

e SIM! pessoas daqui VÃO PARA A FESTA, VIU??? aquela história de saias menores que um palmo vai acabar dando em merda, mas podem ir com suas calças arrochadas aparecendo a marquinha do biquíni e bermudas da saka praia com basqueteiras da m2000.
eu não falei em nenhum momento aqui, nessa semana tão conturbada, mas eu e meus três companheiros de trabalho estamos organizando um baile funk. sim, um baile funk. vai tocar os proibidões mais trash, os goza na boca, goza na cara, goza onde quiser. mas pra ninguém encher o saco, rola um sly stone, um funkadelic, um parliament, um stevie wonderzinho de leve. então, funk pra todos os gostos e rebolados. e antes do troço ficar certo, já tava todo mundo sabendo por causa dos boatos que rolaram. então, pra lala k não sair na frente e roubar nossa idéia de baile, tá feito:



quando? 14/11
onde? elfos
quanto? 3 real

9.11.02

valeu, bg e todo mundo que tá tentando levantar meu ânimo. adoro todos vocês :~~~~



prometo que juro que vou melhorar. o mais rápido possível.
ah, esqueci de dizer uma coisa legal: ontem eu acordei no meio da noite e não tava conseguindo dormir. aí ligo no cartoon network e tá passando o desenho tosco mais legal do planeta: rocky e bullwinkle. alguém já viu isso? o desenho é das antigas, nem sei de quando é, mas imagino que da década de 60. é um alce meio retardado e um esquilo aviador que resolvem problemas. e sempre rola o desenho como se fossem mini-episódios com continuação. é muito engraçado. o vilão é um russo chamado bóris que só se fode e tem uma namorada chamada natasha que parece com a mortícia addams. me lembrou aqueles desenhos que não deram certo, do cartoon network: o cãozinho raivoso (que tinha a musiquinha ninguém passa a mão, ninguém se aproxima, ele está espumando porque fugiu da vacina), rupert (o peixe morto que faz sapateado) e heidi e os tiroleses (acho que foi o desenho mais feio do mundo).
gente, desculpem o meu sumiço, mas as pessoas próximas de mim sabem das minhas razões.

de uns dias pra cá tenho sentido uma ansiedade estranhíssima e sem motivo aparente. distonia e taquicardia me fodendo. e de quinta pra cá, uma tristeza profunda também sem motivo (tá, tem alguns, mas não que expliquem essa tristeza que não passa). ontem eu fui no centro buscar os remédios que o homeopata passou pra alergia e ansiedade e senti uma vontade imensa de voltar pra casa e não fazer mais nada. e foi o que fiz. cheguei em casa e botei pra chorar, coisa muito difícil de acontecer. eu raramente choro, sou daquelas meio duronas e dificilmente me deixo vencer por uma tristezazinha qualquer. mas dessa vez ela me pegou de jeito. não consegui fazer nada o dia todo. o computador não foi ligado um segundo. não li uma linha de nada. não ouvi música. passei o dia deitada na minha cama. e mal comi. a comida não descia direito, me dava uma náusea horrível. comecei a comer um sanduíche de queijo e a boca encheu d'água, como se eu fosse vomitar.

e não me venham falar em depressão porque acho que não é isso. pode até ser mas eu sinto que é algo passageiro, e que vou sair dessa o mais rápido possível porque eu quero sair. estou me cuidando, tentando pensar em coisas boas e se eu estiver legalzinha mais tarde pretendo até dar uma saída.

bom, era esse o meu recado. torçam pra que eu fique legal novamente.

6.11.02

entraram aqui procurando por "sedentarismo", "como acabar com a barriga" e "quero malhar em casa". isso é alguma marcação comigo? tão fazendo de propósito? ou é apenas um sinal pra que eu volte pra a academia? sim, eu só fui duas vezes pra academia! lenda total, hein? eu queria, queria muito perder minha barriga, mas queria assim, num passe de mágica. de repente eu acordasse com ela sequinha. seria uma maravilha. ou ter muita grana pra fazer uma lipo e rezar pra não ter um choque anafilático.

falando em choque anafilático, tou muito preocupada com minhas alergias. segunda à noite, minha colega amélia teve uma crise de alergia. não sabe a que, mas acha que foi por causa do porco que comemos na praia (hehe). ela acordou com o lábio inchado, uma bola grande. o dia foi passando e as coceiras começaram a aumentar; as bolinhas se espalharam pelo corpo e de noite até a cabeça coçava. cheia de bolas vermelhas e coçantes e agonizantes. no dia seguinte soube que até o hospital residência foi chamado, devido à gravidade do troço.

bom, o que me preocupa nisso tudo é que o médico disse que ela precisa fazer urgente o teste de alegia pra não ficar supondo a que ela tem alergia quando começarem essas reações. e que ela pode ter, de repente, um choque anafilático. gente do céu, fiquei muito assustada! eu sou uma pessoa muito alérgica também. talvez não tanto quando amélia, mas do tipo que a cada dia descobre uma alergia nova. e por pura preguiça e desleixo não vou ao alergologista. ontem mesmo, meu corpo todo tava com pontinhos minúsculos e vermelhos. barriga, braços e o rosto também tava vermelho. não sei o que era, nem liguei muito, e depois passou. mas ainda assim fiquei muito preocupada. e decidi, de uma vez por todas, que vou começar um tratamento sério com homeopatia. digam que é placebo, auto-sugestão, digam o que for. o que importa é que funciona. conheço assim de gente que já fez uso e ficou boa. meu pai é a pessoa mais cética do mundo e ficou bom com homeopatia. então, por que não tentar? não tem efeito colateral, já se sabe que dá certo, por que não acreditar que vai dar certo comigo? sinceramente, quanto mais eu ficar longe de remédios alopáticos, eu tou feliz (apesar da grande massa me achar a maior hipocondríaca da paróquia)

5.11.02

hsahshah.
ufa, tou de volta. cheguei da praia ontem mais de meio dia e fui direto trabalhar. como nem eu lembro de tudo o que aconteceu, vai em tópicos mesmo.

¬ maracaípe é uma praia maravilhosa. não, eu nunca tinha ido lá (só fui até porto de galinhas, que é badalação demais). a única coisa ruim é o mar violento, perfeito pros surfistas que sempre estão lá. mas a praia é linda, limpa, azul, deliciosa.

¬ caranguejo é uma das melhores coisas que já inventaram comer.

¬ definitivamente, eu morro de vergonha de ir à praia. primeiro que qualquer solzinho me deixa igual a uma gringa e isso não é lá coisa muito boa. as chances de me cobrarem 10 reais numa água de côco e dum nativo chegar falando um maldito espanhol de novela mexicana são quase 100%.

¬ definitivamente, praia é um troço maravilhoso. e eu descobri que amo o sol, desde que ele não esteja na cidade onde eu moro e ando a pé pra todo canto. sol na praia é a coisa mais legal do mundo. brisa também. e chuveirão também.

¬ acordar às 8h da manhã não foi um suplício.

¬ é ótimo não ficar olhando pra hora o tempo todo, não ter compromissos, acordar pra ir à praia e ficar lá até enjoar.

¬ beber cerveja na beira na praia (e em qualquer lugar em volta dela) é uma delícia.

¬ dançar o samba do mangalóide com daniel peitcholas é a coisa mais divertida e engraçada do mundo. não, não é. é daniel falando espanhol. aliás, daniel é a coisa mais engraçada do mundo.

¬ - sabe onde vende um... bebé?
- ah, meu filho, tem um bar ali do lado.
- não, é um... bebé. onha, maONHA.

¬ jamaica é a mais nova companheira de quarto de regan, a possuída safada, e káita, a ceguinha do interior. jamaica é aquela estudante de licenciatura em desenho e plástica que está super animada porque vai entrar no cac agora e o cac é a maior loucura, meu. faz PSEIRA, usa um chapéu de regueiro com as cores do olodum e com os cabelos pra dentro e tá toda vermelha do sol. mas é a maior farsa: não fuma maconha, é virgem e dorme cedo.

¬ toda praia devia ter uma praça, uma igreja e uma sorveteria para os jovens se olharem.

¬ se você é muito branco, peça a seu colega pra passar UNIFORMEMENTE o bloqueador solar em você, pra você não ficar com aquelas manchas vermelhas de quem chegou perto de água viva.

¬ a brincadeira do "eu nunca" é um ótimo meio de se conhecer as pessoas. como mais a gente ia saber que daniel escova o bigode com a escova de dentes?

¬ helena é a pessoa mais sem noção do mundo. e comete as piores gafes da humanidade.

¬ mosca saaai do meu nariiiiiz. mosca saaaaai da minha barriga.

¬ sempre tem um JUINO na praia. pode chamar por ele que ele aparece.

¬ faltar luz numa praia pode não ser o fim do mundo. compre umas velas, umas vodcas, gelo e uns refris amarelos. ponha tudo no terraço e esqueça. o céu fica lindo e completamente estrelado, como nunca se vê no mundo.

¬ eu tou muito hippie, né?

1.11.02

aê, galhera, tou indo pra praia (maracaípe) daqui a pouco e acho que só volto domingo à noite. aproveitar meu último fim de semana antes das aulas. acho que faz uns dois anos que não vou assim, pra passar um findi na praia. vai ser legal. voi ficar negona, pegar uns surfistas e comer açaí na tigela. acho, ixcrusive, que vou dar uma lida antes no dossiê fraude sobre se dar bem no litoral pra poder me enturmar legal com a turma do surfe e da tonha, é ou não é?

bom, era wilson. cuidem-se e vão pela sombra.
UFPE pode conceder título de Doutor Honoris Causa para o presidente eleito

O presidente eleito do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, poderá ser a próxima autoridade a receber o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Na próxima semana, o Conselho Universitário irá se reunir para analisar a proposta, que será encaminhada pelo reitor Mozart Neves Ramos, refletindo um desejo da comunidade acadêmica.

O título é concedido a personalidades que tenham contribuído para o progresso da Universidade, da Região Nordeste ou do País ou que tenham se destacado pela sua atuação em favor das ciências, das artes, das letras ou da cultural em geral. "Por ser o primeiro pernambucano eleito à Presidência da República com a maior votação da história do Brasil e pelo seu passado de luta defendendo as causas sociais, Luiz Inácio Lula da Silva poderá receber o título da UFPE", justifica o reitor.

Entre os agraciados com o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal de Pernambuco, nos últimos anos, estão o ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela (1998), o geógrafo da USP Milton Santos (1999), o prêmio Nobel de Física Claude Cohen-Tannoudji (1999) e o primeiro superintendente e idealizador da Sudene, o economista Celso Furtado (2000).

A proposta será encaminhada ao Conselho Universitário instruída com o currículo do indicado e ampla justificativa, elaborada por uma comissão especial designada pelo reitor. Para a concessão do título, a proposta precisará ser aprovada por no mínimo dois terços do conselho, que é composto por: reitor, vice-reitor, pró-reitores, diretores e vice-diretores de centro, representantes dos conselhos departamentais, das classes docentes, da sociedade e dos estudantes. Em caso de aprovação, data para a outorga do título será definida posteriormente.

fonte: boletim de notícias da ascom UFPE