26.4.03

bastou mari e sil dizerem que eu sou legal porque falo de outras coisas além de macho (ou seja, que eu não tenho o priquito coçando eternamente) pra eu desembestar e ficar doida por um deus de cachinhos de ouro ontem na festa dos dizáiners. era um moço lindo e alto e forte e simpático. fiquei só olhando (na verdade, só fiz isso a noite toda, olhar pro homem. óbvio que com minha eterna descrição porque eu tenho que manter a minha fama de má). ele foi embora e eu virei uma abóbora.

depois eu pensei "pô, melhor assim. vai que o cara é burro, tem mau hálito, fala merda pra caralho e ainda diz 'clítoris'?" às vezes é melhor essa coisinha platônica mesmo, ficar só olhando e admirando, pelo puro e simples prazer estético. como um quadro, uma fotografia bela. melhor que seja uma coisa linda, intocável, inalcançável do que perder o encando com duas palavrinhas sem graça. porque é óbvio que se o cara peida pela boca ele vai se tornar o ser mais feio do universo.

e se ele, além de lindo e maravilhoso, for inteligente, sensível, simpático, engraçado, bla bla bla e todas essas coisas que as moças procuram nos moços? ah, claro que não. não existe ninguém assim no mundo.

Nenhum comentário: