15.5.03

eu devo ser realmente uma monga estúpida. quebrei (novamente) os meus óculos. da primeira vez, eu cheguei bêbada em casa e SENTEI nos óculos, que repousavam calmamente em cima da cama. o detalhe é que a cama era de casal, então a probabilidade de eu sentar minha bunda minúscula nuns óculos igualmente minúsculos era 1 em 1.475.

mas dessa vez foi diferente. adormeci vendo tv e não sei como os óculos foram parar fora do meu rosto e ao lado do travesseiro, bonitinho. durante a madrugada, eu me mexo e eis que meu cotovelo vai com fé direto neles. ouço o *créc* com o qual já estou tão familiarizada e penso "ai, jisuis, meus óculos!". acendi a luz pra ver o estragão e não dormi mais pensando em como passaria meus dias sem meus óculos e tendo que trabalhar na frente do computador com lentes de contato.

de manhã cedo, aquela velha ligada pra mãe pra pedir socorro (eu sempre faço isso. não sei o que seria de mim sem minha mãe). às 8h20 minha mãe já estava na manoel borba (rua cheia de óticas aqui do recife) me esperando. lá me mando, debaixo de um toró, pra procurar óculos novos. haja saco. não procurei muito e acabei comprando algo completamente diferente do finado caretinha de armação parafusada. um oclinhos féxion pra combinar com a minha condição dizáiner. tem que ser, né? todas as pessoas, incluindo meus professores, usam oclinhos féxion. eu não poderia ficar de fora.

Nenhum comentário: