21.5.04

MULHERZICES

de uns tempos pra cá eu tenho pensado muito na idade, em como o tempo tem passado rápido nos últimos anos - esse ano mesmo, mal começou, já tá no meio. e não só sou eu quem compartilha dessa opinião. mas enfim. já tem um tempo que eu tenho pensado nisso. no tempo passar rápido demais e eu continuar aqui, não regredindo, mas numa progressão muito lentinha, não correspondente à com que o tempo tem passado.

tem um tempo já que eu venho enchendo o saco do povo com essa história de procriar. tudo bem, parei de falar nisso. mas depois que A MINHA PRÓPRIA MÃE DISSE que era bom cuidar DISSO logo, que não é bom ter filho tarde (e vocês sabem que praga de mãe PEGA) eu aindei pensando "porra, podicrê". e esses pensamentos me voltaram à cabeça, a história da maternidade e tal.

agora vem outra merda: casamento. sabe o que é? vou contar.

lá no trabalho só tem mulher. aí já viu. muita mulher junta num lugar presta não. aí que tem uma que namora há seis anos, outras duas há quatro, duas casadas, mais outra há sete anos. todas ENCAMINHADAS para formar um lar PRÓSPERO e FELIZ.

ok, não que eu esteja pensando em CASAR propriamente. mas pra eu pensar em ter um filho, eu preciso, ao menos, ter um parceiro ESTÁVEL. e que compartilhe dessa mesma vontade, lógico. mas nem isso eu tenho. além do parceiro ser estável, ele não pode ser FEIO, nem MORAR LONGE. não que seja o caso TOTALMENTE, mas enfim.

o fato é que hoje fui almoçar com a minha velha e falei desse SALÃO que é o lugar onde eu trabalho, contei do episódio da moça que veio contar, toda sorrisos, que havia ficado noiva na noite anterior. tudo bem que isso não me causa nenhuma comoção, ou arroubo de felicidade. venho de uma família que não dá a mínima importância pra esse tipo de coisa, o que eu acho ótimo. não tive nem festa de quinze anos, muito menos terei um casório da forma como muitas mulheres sonham. se um dia eu vier a me juntar com UM OUTRO ALGUÉM, quero fazer uma festinha bem MINHA CARA, como juliana calheiros fez, vestida de RENASCENÇA e sandalinha de couro, na granja da família. não que eu vá me vestir assim, mas é o tipo de festa de casamento que imagino mais próxima à minha, se eu tiver uma um dia.

até comentei na hora lá no trabalho que, quando eu casar um dia, vou aparecer de manhã e dizer GALERA, CASEI. é, vai ser quando eu resolver ir morar junto com o cara que eu tiver namorando.

eu não queria ficar pensando muito nessas coisas, mas é que já tou com 24 anos na cara e sei que daqui pros trinta é um pulo que eu não vou nem sentir.

será que só sou eu que penso nisso ultimamente?

Nenhum comentário: