30.9.05

alguém?

alguma alma caridosa poderia me dizer o que fazer com esse meu cabelo pra tirar essa porra dessa tinta vermelha?

descolorir? raspar?

28.9.05

cristiane,

obrigada por me falar bem de six feet under. tou viciada nessa merda, não consigo parar de assitir. agradeço também a chico por me emprestar a primeira temporada completa e à sms por existir.

23.9.05

dois mil e um

(mutantes)

astronauta libertado
minha vida me ultrapassa
em qualquer rota que eu faça
dei um grito no escuro
sou parceiro do futuro
na reluzente galáxia

eu quase posso falar
a minha vida é que grita
emprenha se reproduz
na velocidade da luz
a cor do sol me compõe
o mar azul me dissolve
a equação me propõe
computador me resolve

astronauta libertado
minha vida me ultrapassa
em qualquer rota que eu faça
dei um grito no escuro
sou parceiro do futuro
na reluzente galáxia

amei a velocidade
casei com 7 planetas
por filho, cor e espaço
não me tenho nem me faço
a rota do ano-luz
calculo dentro do passo
minha dor é cicatriz
minha morte não me quis

nos braços de 2.000 anos
eu nasci sem ter idade
sou casado sou solteiro
sou baiano e estrangeiro
meu sangue é de gasolina
correndo não tenho mágoa
meu peito é de sal de fruta
fervendo num copo d'água

astronauta libertado
minha vida me ultrapassa
em qualquer rota que eu faça
dei um grito no escuro
sou parceiro do futuro
na reluzente galáxia

arroz de polvo

dia desses eu resolvi me aventurar a fazer um arroz de polvo. comprei dois polvos pequenos e fiz. marinheira de primeira viagem, coloquei mais arroz do que devia e, além de ter ficado seco demais, deu aquela triste sensação de estar catando o polvo no final. não é bom.

na minha segunda tentativa já tive mais sucesso. eis aqui a receita:

dois polvos médios
uma cebola grande
um pouco de sal

duas xícaras e meia de arroz
4 dentes de alho picadinho
1 cebola picadinha
açafrão
sal a gosto
1 pimentão em tirinhas
pimenta do reino à vontade
azeite

coloque os polvos já limpos dentro da panela de pressão com água pela metade com uma cebola grande inteira e um pouco de sal. quando a panela começar a apitar, deixe cozinhar por 5 ou 7 minutos. não deixe passar disso, senão o polvo fica molenga demais. lembre-se que ele ainda vai cozinhar junto com o arroz.

reserve a água preta do cozimento.

depois de cozidos, corte os polvos em cubinhos não muito pequenos mas também não muito grandes. doure a cebola e o alho no azeite e depois acrescente o polvo. coloque o pimentão na panela. jogue o arroz já lavado no refogado e deixe um pouco para pegar o gosto. adicione aos poucos a água do cozimento do polvo. ponha o açafrão, a pimenta e o sal a gosto. se não quiser colocar somente a água do polvo, acrescente água limpa e quente para cozinhar o arroz.

é importante colocar mais água do que num arroz normal para que o resultado vire um ensopadinho. arroz de polvo seco não tá com nada.

22.9.05

depois de tudo

agora me resta a grande dúvida: me inscrevo ou não na seleção do mestrado? tenho até o dia 7 de outubro pra escrever o projeto e reunir documentos para a seleção. e ainda nem contactei orientador.

oh, dear god, que faço eu?

só uma coisa é certa nesse momento: PRECISO DE DINHEIRO. tou jogando na lotinha toda semana. se eu ganhar, não sei o que faço com o dinheiro ainda. antes, pagar as dívidas. depois eu não sei.

acho que eu presentearia alguns com ipods, outros com roupas legais, pagaria jantares pros mais ansiosos, visitaria meus amigos em são paulo, rio e porto alegre, talvez desse uma passadinha em barça, dava um beijo em faccenda, tomaria uma caipirinha preparada por ela, depois iria ali em paris e pegaria meu devedê de du soleil un hiver que grégoire me deve até hoje, desceria pra portugal e tomava um vinho com joão, voltaria pra casa e avisaria aos meus pais que tirei uma graninha na loteria. mas que já gastei tudinho.

ia ser bom demais, mas não vai acontecer. porque eu sou uma pessoa pé frio demais. e as coisas não acontecem na minha vida.

ah, chega de lamentações. eu só queria uma graninha pra me divertir decentemente de vez em quando.

21.9.05

recordar...

ri demais hoje relendo posts antigos daqui do blog. façam isso de vez em quando, é muito bom.

mas essa foto tá vergonha alheia demais:


alguma passagem pelo garagem, lá pelos idos de fevereiro de 2003.

saudades de gabi e do grande bruno galera. e de cláudio (cuja bunda é essa aí do lado), que está voltando pra recife essa semana. amo todos vocês.

20.9.05

porra

tem como a pessoa se sentir mais pobre do que numa situação dessas, de uma havaianas se partindo no meio da rua?

havaianas

se você acha que pode confiar numa sandália havaianas, acredita naquela história do "não deformam, não têm cheiro e nem soltam as tiras", pode ir ficando descrente.

hoje minhas havaianas me deixaram na mão.

tava indo pro escritório, nesse lindo dia de sol, de bermuda, camiseta e minhas havaianas, quando sindo aquele vazio repentino. o dedinho da sandália se partiu. eu estava exatamente no meio do caminho, perto da casa de laura. liguei pra ela me socorrer, mas ela não tava em casa. foi quando passou de carro dani vilela e fez a caridade de me dar a sandália dela pra eu não ficar descalça. te devo essa, dani :*

mas pense no sufoco. já tava começando a pensar no que era melhor: ir pra casa descalça, me aventurar atrás de um chinelo, ir pro seo buda tentar consertar... se não fosse dani eu tava era perdida mesmo.

e agora? compro uma dupé ou uma xô boi?

16.9.05

as pás

já fomos recepcionados por um cheira cola na rua, ao estacionarmos o carro pra ir pro clube das pás douradas. lá dentro, cartazes indicando "parabéns, você está no centenário do clube". nossa, por que eu demorei tanto pra ir ali? me lembro quando tônia, a mãe de flávia, chamava a gente pra ir pras pás, quando ainda éramos púberes e inocentes.

já se nota o clima respeitoso do ambiente familiar quando se entra; o chão do salão, com o assoalho devidamente encerado para a noite de festa. o banheiro é uma atração à parte; uma tiazinha com uma cesta de palha, cheia de pedaços de papel higiênico enrolado para ser distribuído com as clientes ao entrar. além do ar condicionado, nada podia ser mais bizarro naquele banheiro, só a mulher-travesti que entrou semi-nua. nunca vi uma mulher-mulher tão alta em toda minha vida. nunca. acho que a bicha tinha 1,90m, sem brincadeira. e sem salto; a sandália que ela calçava era tão rasteira quanto um pedaço de papelão. impressionante.

o som de catarina de jah foi massa, condizente com o lugar e a situação. me lembrou os djs da cubana, só que com mais personalidade. a qualidade do som não tava boa, mas deu pra disfarçar direitinho.

a academia da berlinda evoluiu muito desde o últmo show que vi, numa das festas do 46º salão de artes plásticas, no museu do estado. tão cantando direitinho, sem errar nas letras. foi massa, até dancei no salão sem levar minha latinha de cerveja quente.

a banda tocou em duas vezes, e o segundo set de catarina foi ainda melhor que o primeiro, recheado de carlos alexandres, evaldos bragas e elinos lunião.

mas nada paga dançar "ninguém vai tirar você de mim" agarradinho no clube das pás. nada.

15.9.05

das coisas que consigo fazer com a boca



do blog de sil. e não me perguntem como foi isso, eu não me lembro.

perguntas de rotina

- tem diabéticos na família?
- não.
- casos de câncer?
- minha vó. câncer de mama e pulmão. mas ela tá viva. meu vô morreu de câncer no intestino.
- hipertensão?
- meu pai.
- menstruou pela primeira vez com que idade?
- 12.
- teve a primeira relação sexual com quantos anos?
- humm, 17, 18, não me lembro.
- quantos parceiros sexuais já teve?
- ...
- ?
- não lembro.
- é pra eu botar na sua ficha "perdi as contas"?

***

providências:

- comprar dez calcinhas de algodão e florzinha no centrão;
- dormir sem calcinha;
- usar saia e evitar jeans;
- ventilar a bacurinha, filha;
- e, principalmente, dormir muito de conchinha.

14.9.05

festinha




vá e leve a família.

6.9.05

acabou

consegui, terminei, apresentei, foi massa, já posso ser presa e tudo e tal.

5.9.05

poás



parada gay, sexta-feira, de cima do trio elétrico.

foi massa.

2.9.05

formatura



adoro os desenhos de leo martins, do no mínimo.

de pensar que segunda-feira eu me livro da faculdade, dá vontade de chorar! e dia 12 tem a colação, num queria ir não, mas enfim.

e não inventem de ir ver a minha defesa.

PG gay

e aí que ontem eu entreguei as três cópias do meu projeto de graduação para a banca. moída, cheguei em casa no final da tarde e não me levantei mais da cama. mentira, ainda tomei duas cervejas em baixo de casa, no bode entre amigos.

por sinal, que cerveja ruim do caralho a tal da antarctica original. tem gosto de cerveja choca. só vale pelo rótulo, que é lindo.

e aí que hoje vou botar som num TRIO ELÉTRICO NA PARADA GAY. não sei a hora exatamente, mas quem passar pela conde da boa vista já vai ver o tumulto. aliás, não tem lugar mais apropriado pra a parada gay do que a conde da boa vista. e viva a força surdo-muda gay! não vejo a hora!