19.6.06

na falta do que fazer, vamos postar conversas idiotas de msn






Daniel Aragão - EM LONDON diz:
que bebe lindo
eh sua filha?

.zenzi. diz:
é
CONTIGO

9.6.06

terrora

daqueles clichés que você sempre ouve em elevador, como "tá quente hoje", existem os especiais para dias de chuva como "recife não pode ver água" - com uma variação um pouco desatualizada de "esse chevette não pode ver água". quem mora aqui sabe que são clichés absolutamente verdadeiros.

essa semana aqui no trabalho o caos se instaurou. por sorte minha, estava eu lá dizendo 5 nomes de legumes, pontes do recife, animais selvagens, profissões, estimulando o cérebro a trabalhar enquanto o meu labirinto era atacado por uma enxurrada de água quente. então, choveu tanto (ou nem tanto assim) que a rua virou um mar. carros boiando, gente saindo com sacos de lixo amarrados nas pernas pra evitar molhar (e pegar uma leptospirose básica), reboques dando carona. enfim, o fim dos tempos:






a galera tá tão traumatizada que, bastou dar uma chuviscadinha, todo mundo corre pra janela pra começar a ver o estrago e calcular em quanto tempo a rua enche pra cair fora antes.

7.6.06

labirinto

hoje de manhã fui fazer os exames que faltavam pra ver se tem algo errado com meu labirinto. ainda bem que não fui no trabalho de manhã porque a rua tava completamente alagada por conta da chuva: água no joelho (sem duplo sentido) e carros boiando pela rua. um caos. devia ser decretado estado de calamidade pública e deixar as pessoas em casa, enroladas no cobertor e vendo sessão da tarde.

anyway, vou aproveitar a tarde sem trabalho pra levar os exames pro otorrino, que tudo indica que tou com labirintite mesmo. é triste, mas é verdade. por outro lado é bom saber que essas coisas que tou sentindo têm uma causa, e não ficar naquela suposição de todos os médicos que fui antes, é a pílula, é enxaqueca, é estresse. agora é se tratar e ver no que dá.

6.6.06

saudades da ex-vista

e eis que, pela segunda vez em 6 meses, a gente muda de prédio. dessa vez, pelo menos, é definitivo. o prédio novo é bacana e tal, apesar da rua mais medonha do mundo, perdendo apenas para a rua imperial e a avenida sul.

além da boa localização dos dois últimos prédios, uma das coisas que mais vou mais senitr falta é a vista.



essa era a vista do café e da água.


essa era a vista da sala de reunião, onde a gente também almoçava e lanchava de vem em quando.



essa era a vista lateral, da madre de deus. os carros passavam tão pequenininhos que pareciam de brinquedo.

sem falar que era mais perto da livraria cultura, do royal, do paço... agora eu só tenho a favela do pilar aqui perto.