30.11.06

>;<

minha terapia agora é tirar cravos. uma coisa nojenta que eu sempre abominei agora estou aqui, pagando a língua. e eu tou num nível tão absurdo de ficar olhando pro nariz dos outros, babando, querendo arrancar o ceruminho com as unhas.

pois é. essa semana é minha última semana antes das férias e parece que coincidiu com tudo acontecendo de última hora e sem absolutamente nenhum tempo pra resolver. tinha uma nota fiscal pra tirar na prefeitura, não vou tirar mais. tinha um concurso de marcas que eu tou participando e até agora tá tudo dando errado. desisti de gastar 100 reais numa gráfica pra imprimir o trabalho pra usar a ultra-mega-power impressora caseira de carlós, pra descobrir depois que o trabalho tem que ser entregue em a3 e não em a4. isso depois pedir pra minha mãe ir comprar papel color plus e cortar em a3 e o pessoal da gráfica enganar a pobrezinha e cobrar 5 reais pelo corte de cada folha. pra depois chegar eu na quinta-feira sem ter resolvido nada, só gastado dinheiro.

acordo hoje de manhã um caco, cansada, chorando, desesperada. acordo tarta, bichinho, às 7h da manhã pra chorar no ouvido dele. depois de 20 minutos chorando no telefone, tomo um copo d'água e vou pro banheiro tirar cravo.

e assim meu dia começou, estressada e agora com o nariz vermelho.

28.11.06

azucar

achei que era mentira isso de que açúcar deixa a gente doidão. mas depois de comprar um saco de pirulitos pop e um de confeitos sortidos, pude avaliar e ver que tem fundamento. tipo quando minha mãe dizia que melancia não se come antes de dormir e eu acordar com indigestão no meio da madrugada.

comprei esse saco de bombons e vieram alguns big bol, aqueles que têm chicrete dentro. catei todos os 8 que vêm no saco o coloquei aqui na minha frente. já tou no sétimo e tou sentindo a travação nos dentes, os olhos esbugalhados, a agressividade a flor da pele. caralho, parece que eu tô doida de anfetamina. ou quando tomo a efedrina do meu allegra d.

27.11.06

festas


eu sei que a caretice venceu no capitão lima, mas o sonho não acabou (não, não vou repetir a piada do surpresa de uva, que por sinal, anda muito sumido pro meu gosto).

quinta 30, eu e tarta tocamos na quinta sem noção, no boratcho. e sábado 2 tem a blush!, com eu e simone no som.

apareçam. vai ser massa.

23.11.06

cansei de ser o que, mesmo?

quase todo dia eu acordo com uma música na cabeça, que se eu não colocar pra escutar o mais rápido possível eu endoido. acho que eu tenho t.o.c. vou falar pra minha analista.

às vezes eu fico com vergonha de algumas dessas músicas. dia desses acordei com "eu vou botar teu nome na macumba, vou procurar uma feiticeira, fazer uma quizumba pra te derrubar" e hoje eu acordo com "wine in the morning and some breakfast at night, well i'm beginning to see the light".

que evolução, hein? de zeca pagodinho pra velvet underground. é porque eu sou ecrética.

aliás, tem coisa pior do que quem diz que é eclético? é típico de quem não gosta de porra nenhuma e fala isso pra agradar a todos, porque são pessoas sociáveis e simpáticas. típico daquele sujeito que diz "ah, hoje eu tou aqui no show da eddie, amanhã eu vou pra maraca ouvir um reggae mas também posso estar no lugar dos 'burgueis' ouvindo música de 'burgueis' só pra circular em todos os meios. eu sou assim, cara". ugh!

falando em pessoas sociáveis e simpáticas, peço encarecidamente a todas as minhas amigas e amigos que não conseguem ter raiva de ninguém que pinguem três gotinhas de veneno e duas de ódio nos seus coraçõezinhos. é tão pouquinho e às vezes faz tão bem essa misturinha. usados com parcimônia, a gente afasta os demônios e ainda tem de volta aquela alegria de viver.

amo vocês. beijo, tchau.

17.11.06

conga la conga

16.11.06

horóscopo

áries [21.03–20.04] Querido leitor, infelizmente você não verá o fim desse período. Para evitar o eufemismo dos fracos: você não viverá até o fim do mês. Consultei todos os luminares, o nodo lunar, as casas dos planetas, os ângulos, todas as configurações astrais e a resposta é a mesma. Seja qual for seu sexo, raça, religião ou posição social, não há saída. Conformado ou revoltado, tome as providências triviais: faça seu testamento, reconcilie- se com os inimigos (sobretudo da mídia), pague suas dívidas. Acreditando que um outro mundo é possível, tudo lhe será mais leve. Ele será melhor ou pior, mas será diferente. Não pense em coisas negativas – tais como a permanência da natureza, independentemente de seu desaparecimento. Console-se com o fato de que a televisão continuará perpetuamente. E talvez você – ou seu fantasma – apareça nela episodicamente. LIVRO Antologia de textos estóicos para os ateus. A imitação de Cristo para os crentes. P.S. É óbvio que esse destino é exclusivo para os nascidos no Hemisfério Sul (Kepler, 1647). Além disso, só morrerão os que lêem horóscopos.

***

leia o seu aqui.

14.11.06

i wanna get physical

o melhor de ir pra academia é ir pra esteira e começar a tocar blue monday no ipod. aliás, ouvir new order early eighties na cadmia é muito foda. fora isso, é tudo muito chato. isso sem falar que hoje as máquinas se revoltaram comigo. uma machucou minha coxa, a outra me melou de graxa. uma beleza.

na volta pra casa, no sol quente, tinha uma pessoa varrendo a calçada da casa e senti cheiro de percevejo. caralho, fazia bem uns 20 anos que não sentia cheiro de percevejo, é muito ruim.

cheguei em casa e fiz um suco de uva pro café da manhã. o liquidificador lá de casa tem uma geringonça dentro onde você põe as frutas e, quando bate, o suco já sai cuado. eu nunca tinha usado essa função do liquidificador, mas resolvi tomar um belo suco de uva quando voltei da cadmia. e o troço funciona lindo. quero um desses quando eu crescer.

aí resolvi trazer almoço pro trabalho. enquanto tomava meu suco de uva, grelhei dois filés de peito de frango e coloquei dentro de um pão de centeio. e o complemento foi um tupperware grande cheio de alface francesa e americana e tomates cereja. e num tupperware menor, meu molho especial de mostarada de dijon. pronto, meu almoço vergonhoso.

quando fui comer aqui na copa, tássia não acreditou no que viu e meu deu um pedaço das suas almôndegas de soja, porque eu precisava de SUSTANÇA. mas vejam bem: tinha carboidrato no meu almoço? tinha. tinha proteína? tinha. tinha fibra? tinha. tinha xié? tinha. po, tinha tudo que uma refeição completa precisa, o povo reclama só porque meu prato tava cheio de folha e "isso não enche barriga de ninguém". ainda bem que eu touxe uma maçã.

outro dia fui comprar xampu e meias nas americanas (sim, eu sou uma bichinha suburbana) e acabei comprando uma caixa de bis. tá rendendo, como no máximo 4 por dia, mas é difícil resistir à tentação. e pringles original 33% less fat que tava na promoção por 5,99 (pobre). mas eu só como 12 por dia, que é o que tem indicando na lata que tem 122 calorias e muita gordura trans.

queria tanto voltar a ser magrela, pra poder comer tudo sem culpa. mas só por isso mesmo, porque eu prefiro ser uma gordinha gostosa do que voltar a ter aqueles cambitos finos e aquela bunda xoxa.

9.11.06

hora marcada

porque hoje é aniversário do meu amigo cláudio :)

6.11.06

www.cadaumcomseusproblemas.com.br

assim, terapia é uma coisa boa, todo mundo devia fazer. todo mundo tem pelo menos alguma pendenga da infância pra resolver, é ou não é?

mas eu nem queria falar disso. conheço gente aparentemente bem resolvida que faz terapia e é massa. mas o que eu acho mesmo é que tem muita gente frustrada por aí que desova suas frustrações nos outros. isso pode vir na forma de uma inveja bem dissimulada até de um escracho aos quatro ventos.

quem já foi vítima de qualquer tipo de reação causada por frustração alheia - onde nem sempre você é o motivo da frustração - sabe do que eu tou falando. nem sei se ódio é a palavra adequada pra definir o que essas pessoas sentem, mas acho que chega bem perto.

eu já sofri na pele o que uma pessoa frustrada consigo mesma é capaz de fazer. além de violência física - não direta - e verbal, essa pessoa foi capaz de espalhar mentiras sobre mim pra gente que eu nem conheço. e eu vou fazer o que, vou matar, é? não. mas existem formas de se proteger desse tipo de coisa.

uma delas é simplesmente espalhar pros seus amigos, as pessoas que conhecem, gostam e confiam em você, o que houve, pra caso chegue alguma coisa mentirosa no ouvido delas, elas já sabem como refutar. a outra é partir pros patuás, minha filha, porque ninguém é de ferro. arruda e sal grosso ajudam sim. e por último saber que esse tipo de coisa sempre volta em dobro pro malfeitor. como dizia alguma lei física que ficou lá no meu segundo grau, "toda ação provoca uma reação de igual intensidade e em sentido contrário".

por melhor que a pessoa possa ser, ela não tá livre desse tipo de ataque externo. pior: quando mais linda, gostosa, bem sucedida e legal essa pessoa for, mais ela tá suscetível a esse tipo de coisa. é preciso saber lidar, se proteger e, principalmente, saber ignorar. não existe coisa melhor do que o botão do FODA-SE quando devidamente ligado. é a melhor resposta a quem espera que você pague com a mesma moeda. esse tipo de gente vem sempre munido de armas pra quem revida da mesma forma, e aí a coisa só tende a piorar.

e aí? vestiu a carapuça? meu recado nem é pra você.