14.9.07

uma ostra indefesa no meio de um mar de hepatite

aí você sai correndo do trabalho às 17h em ponto, pega o busão às 17h10, o que é ótimo, pois às 17h30 você está em casa, já. anhã. chegando ali na primeiro de março, já se via o horror: dezenas de ônibus parados por conta da reforma na conde da boa vista.

quando você sabe que você vai, por baixo, passar uma hora naquele trânsito terrível, o melhor é manter a calma. dê graças aos céus que você tá sentado, que não tem ninguém comendo pipoca do seu lado e que já é fim de tarde e nem tá muito calor. melhor ainda se você tem um ipod e um palm com bejewled pra jogar.

a coisa começa a piorar quando, com o ônibus já cheio, sobe uma senhora com uma caixa do habib's fedendo a merda. tudo bem que a comida do habib's é um lixo, mas eu não sabia que ela fedia a merda em ônibus lotado. quando você vir alguém subindo num ônibus cheio com uma caixa do habib's, já sabe: desça e pegue um táxi.

aí tinha um rapaz moreno da bunda grande que resolveu ceder seu lugar à pessoa que levava cocô de cachorro numa caixa do habib's só porque ela tinha cabelo branco. anhã. eu tenho uma amiga que desde os 20 tem a cabeça quase toda branca e nem por isso ela tem lugar garantido no ôbinus nem na fila do banco. aí eu fiquei mais revoltada, porque o rapaz da bunda grande levantou e ficou encostado no ferro da traseira do ônibus, dividindo as duas bandas daquela bunda gorda. e ele tava, tipo, NA MINHA FRENTE. mandando mensaginha de celular. cara, eu não mereço essas coisas. eu só pensava em como é ruim ser pobre, em como eu não posso ter carro porque eu vou ter um ataque cardíaco no meio da agamenon, em como essa cidade é caótica e cheia de gente feia.

de repente, um sinal dos céus: começa a tocar no ipod - que, a essa hora, já estava às alturas, pra ver se eu fugia pelo menos em espírito daquele caos - o conjunto rosa de ouro. baixei esse disco essa semana e botei no ipod pra ouvir em minhas viagens busísticas e foi a grande salvação naquela situação. eu já tava a ponto de cantar imitando clementina de jesus, pensando que eu podia estar tomando uma cervejinha naquela hora. aí aquela lagriminha de saudade começa a querer sair, porque rafa era louco por esse disco e tocava ele quase que na seqüência (é difícil escrever com trema e circunflexo depois, mas eu me RECUSO a não usar mais o trema) no violão e cavaquinho, junto com filipe. cara, é muito lindo esse disco. essa em particular é muito a cara do rafa:

o escurinho era um escuro direitinho,
agora tá com essa mania de brigão
parece praga de madrinha,
ou macumba de alguma escurinha que lhe fez ingratidão
saiu de cana ainda não faz uma semana
já a mulher do zé pretinho carregou,
botou abaixo o tabuleiro da baiana
porque pediu fiado e ela não fiou

fá foi pro morro da formiga procurar intriga
já foi pro morro do macaco, já bateu num bamba
já foi pro morro do cabrito provocar conflito
já foi pro morro do pinto acabar com o samba!

Nenhum comentário: