4.8.08

irmãos adolescentes, esses espécimes

eu tenho duas irmãs adolescentes, uma de 15 e uma de 12-quase-13. elas me fazem perceber o quanto adolescentes são seres imprestáveis. devia haver uma colônia de férias que durasse 10 anos pra onde essas coisinhas iriam junto com outras coisinhas da mesma idade curtir o mau humor, o futum no suvaco, o nascimento dos pelos pubianos e deixar o resto da humanidade em paz.

lalu, a mais velha sempre foi abusada, desde que nasceu. com 15, ser blasé é cool, achar juno um filme "previsível" soa inteligente e ir ver show do teatro mágico é o máximo. a mais nova, raquel, tem um temperamento bem diferente. sempre foi muito amorosa (ao ponto de ser pegajosa), engraçada e via em mim e em rafa a referência pra tudo na vida. acredito que ainda não tenha caído a ficha da morte do irmão. mas enfim. raquel tem a mim como referência pra um monte de coisas, de bandas de rock a roupas. ela costuma a se referir a mim como "roqueira cultural" (leia-se como cultural uma pessoa "culta" - -), definição que eu acho muito engraçada.

raquel tem todas essas qualidades, mas tá passando por uma fase meio espertinha de achar que pode enganar todo mundo. eu, que não sou tão otária assim, acabo descobrindo tudo. sempre. e numa dessas de achar que até a mim ela podia enganar eu fiquei muito puta. 

um dia ela estava na casa da minha mãe, em pleno carnaval, e resolveu pegar umas roupas minhas "emprestadas", com o consetimento da minha minha velha. pegou camisa, short, um tênis e foi com alguma amiguinha pro recife antigo.

umas semanas depois, no meio da minha mudança, senti falta do meu tênis. meu tênis que eu usava quase todos os dias pra ir trabalhar. ivone me diz que raquel usou no carnaval. ligo pra casa do meu pai e descubro que ela levou. algum tempo depois, descubro mais peças de roupa faltando. raquel levou também. exatos 5 meses depois, ela me devolve tudo. a camisa com uma mancha amarelada embaixo do suvaco. o tênis completamente fudido, esgarçado, com a camurça destruída, pronto por lixo. um dos shorts com o zíper descosturando.

aí que hoje acontece o pior. tou na tpm, engordei uns 60kg com a retenção de líquidos e percebo que um dos shorts que estavam com raquel não fecham. eu, que já estava com a auto-estima coladinha com o chiclete grudado na sola do meu chinelo, entro em desespero achando que engordei tanto que as roupas não cabem mais em mim. imaginem bem o meu desespero.

estou eu aqui sentada na frente do computador, gorda, com o zíper do short aberto, quando percebo, surpresa, que não basta uma mancha de suvaco na sua camisa querida do sonic youth, não basta um tênis com chulé e velho, não basta um short com o zíper caindo. raquel ainda precisava ajustar a cintura do short que eu estava usando para o seu tamanho. numa máquina de costura.

tá lá, duas preguinhas, uma de cada lado. na-má-qui-na-de-cos-tu-ra. e eu aqui, pensando nos 87kg a mais, me privando do meu chandelle pedacinhos de chocolate em plena tpm.

mato ou não mato essa filha da mãe?

Nenhum comentário: