9.8.08

orgasmatron

aí que lá na firma tem ginástica laboral todo dia. às vezes eu faço, nem penso muito nas LER porque é quase impossível não tê-las se você tem uma vida sedentária como a minha. eu tou com uma coisa, que ainda não descobri o que é, no ombro, uma tendinite, bursite, alguma ite que eu preciso ir no médico de ombro pra saber.

enfim. aí que dia de sexta sempre tem "massagem" na ginástica laboral. vários daqueles coisinhos de passar nas costas, carrinhos, polvinhos e o orgasmatron. toda vez que eu falo essa palavra (e, gente, É O NOME DA COISA) o povo ri nervoso, eu digo é sério, procurem no guglio, vai aparecer nos primeiros resultados do guglio imagens porque na busca normal o primeiro resultado é a letra do motorhead.

mas o estranho não é isso. o estranho é a tia da ginasca levar um orgasmatron pra aula de massagem. sério, galere, cês precisam ver as caras das pessoas quando estão recebendo os cuidados do orgasmatron. é constrangedor. gente revirando os olhos. medo. não se faz isso, ainda mais no ambiente de trabalho.

um dia eu comprei um orgasmatron num sujeito que tava vendendo na frente do burburinho com uma abordagem pouco ortodoxa. isso faz uns 5 anos. estava eu lá, confortavelmente sentada tomando minha cervejinha, quando o moço vem e enfia o troço na minha cabeça. dei um grito obviamente, foi quase um estupro. aí expliquei a ele que, não, isso não se faz, que com essa abordagem invasiva ele não ia vender nada e acabei comprando um. vai que essa estratégia de vendas agressiva acaba funcionando mesmo na vida real.

eu até gosto do negoço, mas acabou virando brinquedo de mitzu.

Nenhum comentário: