26.8.08

100 anos de cardosonline

dia 5 de outubro, o col faz 10 anos - e, segundo mojo, "em anos de internet, 10 anos equivalem a um século". e vão comemorar com direito a bailão e edição especial zumbi. pra receber a edição comemorativa, basta entrar neste site, apertar naquele lindo botão lá no final e colocar seu e-mail. se você for um dos primeiros 999, recebe o col. senão, babau. eu não vou encaminhar :)

24.8.08

vai um topete?


vários topetes esquisitos com animais aqui.

22.8.08

run, zenzi, run!

aí ontem a gente foi no xopein pra tarta comprar um tênis pra ele porque diz que os allstar véio tão tudo carcomido atrás, culpa dos pés operados (depois eu vi os tênis e estão tão carcomidos quanto os meus e eu nem tive tumor nos pés, nem nada, ele me enganou pra ir no xopein comprar sapato com ele). 

claro que eu não resisto a uma comprinha, né? tinha que levar um par de tênis pra mim também, que eu sou invejosa. o problema é que não tem tênis pro meu pé nessa bagaça. os modelos que eu gosto só têm no "tamanho de homem". ok, então me mostra os que têm tamanho de mulher. tudo rosinha bebê, azul bebê e detalhes em doirado e tênis de correr em esteira com raios de tudo que é cor, reebok feioso. eu penso cá comigo "pra que tanto tênis bonito se eu não posso comprar porque não tem meu número?" e faço a reclamação/sugestão pro vendedor, que me explica que vem assim de fábrica, bla bla bla, apesar de eu saber que existem aqueles modelos com números menores, que já comprei esse e esse aqui tamanho 36, mas ele insiste que não, e eu tá.

tarta leva o dele, eu insisto em passar em outra loja, não admito isso de tamanho de homem. entro noutra loja com o mesmo problema, senão pior. a única vantagem dessa loja era dividir em 10x sem juros e uma parcela de 13, 15 reais não faria diferença no meu bolso, é um almoço. mesmo que o tênis não fosse O tênis. olho ao redor com muita boa vontade, tentando achar alguma coisa que preste. nada.

aí avisto aquele tênis branco (jogando pelo ralo anos e anos de teorias em cima dos tênis brancos, né? um dia explico). aquele tênis branco com o cometinha da nike vermelho. forrest gump? isso!

aí eu calço. aí eu gosto. aí eu levo. 

aí chego hoje no trabalho com o tênis novo, claro. aquela coisa branca encandeando os olhos de quem olha. e pedindo pra ser pisado. incrível isso, é quase que involuntário pisar num tênis branco novo. já devia vir sujo de fábrica.

ninguém lembrava que era o tênis de forrest gump. e depois achei style o visual retarded. quando colocar aparelho a transformação ugly zenzi será completa. aguardem.

21.8.08

avon chama!

não sou muito de comprar coisas da avon, principalmente produtos de pele. mas resolvi dar uma chance a um rímel. tava baratinho, não custava nada.

o treco chegou ontem e já fui testando aqui no espelinho do trabalho. gente, é ótimo. bem melhor do que o rímel lixo que eu tenho da natura. a escovinha tem pelinhos duros e fininhos, o líquido do rímel não é muito espesso e o pincelzinho ainda se move em três posições:


eu já fazia esse truque de entronchar o pincel, mas esse já vem molinho pra ajustar em qualquer posição. uma serve pra alongar e a outra pra dar volume. né ótimo?

o melhor é que ele não é aquele rímel que borra todo, é meio à prova d'água. então, meninas, sisjoguem. chama-se uplifting e custa só R$12,99 em qualquer revendedora avon.

19.8.08

prrrrr


essa coisa linda é só pra eu lembrar pra mim mesma que eu preciso fazer adesivos pra colocar nas paredes de casa.

a imagem é daqui.

manhã de domingo

por sorte ficamos em casa sábado à noite (o que não quer dizer absolutamente nada, visto que acabamos comprando long necks no posto do lado de casa e fomos dormir tarde vendo polyester e edifício master que passou no canal brasil). porque domingo de 9h da manhã fomos acordados por uma banda de pífanos que resolveu entrar naquela ruazinha tranquila e sem saída e ficar tocando, até que todo mundo acordasse e comprasse o cd. vai que não venderam bem no são joão, tão compensando agora no mês de agosto.

a bandinha e o povão gostando

não preciso nem dizer o quanto foi surreal. me senti em plena olinda, 7h da manhã, segunda de carnaval, tentando descansar da farra do dia anterior - apesar da banda ser de pífanos e não de metais desafinados e bumbos descoordenados. também não tinha nenhum tiozinho bêbado seguindo, graças ao beu bom pastor.

vi tarta levantando da cama algumas vezes. imaginei ele na janela da sala, jogando ovo ou gritando pra irem embora. mas, ahhh, que peninha, ele não fez nada disso. e depois a banda foi educada e foi embora, mas aí eu já tava sem sono.

9.8.08

adoro esse negão

sabe aquela vinheta da vh1 que tem um negão de fraque dançando engraçado?

orgasmatron

aí que lá na firma tem ginástica laboral todo dia. às vezes eu faço, nem penso muito nas LER porque é quase impossível não tê-las se você tem uma vida sedentária como a minha. eu tou com uma coisa, que ainda não descobri o que é, no ombro, uma tendinite, bursite, alguma ite que eu preciso ir no médico de ombro pra saber.

enfim. aí que dia de sexta sempre tem "massagem" na ginástica laboral. vários daqueles coisinhos de passar nas costas, carrinhos, polvinhos e o orgasmatron. toda vez que eu falo essa palavra (e, gente, É O NOME DA COISA) o povo ri nervoso, eu digo é sério, procurem no guglio, vai aparecer nos primeiros resultados do guglio imagens porque na busca normal o primeiro resultado é a letra do motorhead.

mas o estranho não é isso. o estranho é a tia da ginasca levar um orgasmatron pra aula de massagem. sério, galere, cês precisam ver as caras das pessoas quando estão recebendo os cuidados do orgasmatron. é constrangedor. gente revirando os olhos. medo. não se faz isso, ainda mais no ambiente de trabalho.

um dia eu comprei um orgasmatron num sujeito que tava vendendo na frente do burburinho com uma abordagem pouco ortodoxa. isso faz uns 5 anos. estava eu lá, confortavelmente sentada tomando minha cervejinha, quando o moço vem e enfia o troço na minha cabeça. dei um grito obviamente, foi quase um estupro. aí expliquei a ele que, não, isso não se faz, que com essa abordagem invasiva ele não ia vender nada e acabei comprando um. vai que essa estratégia de vendas agressiva acaba funcionando mesmo na vida real.

eu até gosto do negoço, mas acabou virando brinquedo de mitzu.

7.8.08

o quão experiente sexualmente você é?

faça o seu teste aqui. é bom pra saber o quanto o povo anda dando na sua cidade.

agora todo mundo fazendo aquela listinha cabulosa no cantinho da mesa, relembrando aquelas coisas que ninguém mais quer lembrar. e você com certeza vai esquecer de alguém, mas tudo bem, faz parte.

e, plis, seja honesto :)

algumas estatísticas (quantidade de parceiros):

gays: 12
heteros: 8

homem: 8
mulher: 9

pessoas de cabelos:
grisalhos 21 (sempre soube)
vermelhos 11
loiros 9
castanhos 8
pretos 7

bebuns 11
bebuns de fim de semana 8
não-bebuns 5



PS: não, eu não vou dizer quanto deu o meu, tá?

spam one-liners

mais aqui.

4.8.08

irmãos adolescentes, esses espécimes

eu tenho duas irmãs adolescentes, uma de 15 e uma de 12-quase-13. elas me fazem perceber o quanto adolescentes são seres imprestáveis. devia haver uma colônia de férias que durasse 10 anos pra onde essas coisinhas iriam junto com outras coisinhas da mesma idade curtir o mau humor, o futum no suvaco, o nascimento dos pelos pubianos e deixar o resto da humanidade em paz.

lalu, a mais velha sempre foi abusada, desde que nasceu. com 15, ser blasé é cool, achar juno um filme "previsível" soa inteligente e ir ver show do teatro mágico é o máximo. a mais nova, raquel, tem um temperamento bem diferente. sempre foi muito amorosa (ao ponto de ser pegajosa), engraçada e via em mim e em rafa a referência pra tudo na vida. acredito que ainda não tenha caído a ficha da morte do irmão. mas enfim. raquel tem a mim como referência pra um monte de coisas, de bandas de rock a roupas. ela costuma a se referir a mim como "roqueira cultural" (leia-se como cultural uma pessoa "culta" - -), definição que eu acho muito engraçada.

raquel tem todas essas qualidades, mas tá passando por uma fase meio espertinha de achar que pode enganar todo mundo. eu, que não sou tão otária assim, acabo descobrindo tudo. sempre. e numa dessas de achar que até a mim ela podia enganar eu fiquei muito puta. 

um dia ela estava na casa da minha mãe, em pleno carnaval, e resolveu pegar umas roupas minhas "emprestadas", com o consetimento da minha minha velha. pegou camisa, short, um tênis e foi com alguma amiguinha pro recife antigo.

umas semanas depois, no meio da minha mudança, senti falta do meu tênis. meu tênis que eu usava quase todos os dias pra ir trabalhar. ivone me diz que raquel usou no carnaval. ligo pra casa do meu pai e descubro que ela levou. algum tempo depois, descubro mais peças de roupa faltando. raquel levou também. exatos 5 meses depois, ela me devolve tudo. a camisa com uma mancha amarelada embaixo do suvaco. o tênis completamente fudido, esgarçado, com a camurça destruída, pronto por lixo. um dos shorts com o zíper descosturando.

aí que hoje acontece o pior. tou na tpm, engordei uns 60kg com a retenção de líquidos e percebo que um dos shorts que estavam com raquel não fecham. eu, que já estava com a auto-estima coladinha com o chiclete grudado na sola do meu chinelo, entro em desespero achando que engordei tanto que as roupas não cabem mais em mim. imaginem bem o meu desespero.

estou eu aqui sentada na frente do computador, gorda, com o zíper do short aberto, quando percebo, surpresa, que não basta uma mancha de suvaco na sua camisa querida do sonic youth, não basta um tênis com chulé e velho, não basta um short com o zíper caindo. raquel ainda precisava ajustar a cintura do short que eu estava usando para o seu tamanho. numa máquina de costura.

tá lá, duas preguinhas, uma de cada lado. na-má-qui-na-de-cos-tu-ra. e eu aqui, pensando nos 87kg a mais, me privando do meu chandelle pedacinhos de chocolate em plena tpm.

mato ou não mato essa filha da mãe?

1.8.08

desabafo

eu realmente não consigo entender essas pessoas que têm dois empregos, que trabalham 12 horas por dia, dormem mal pra trabalhar mais e mais e assim seguem com uma vidinha mais ou menos respirando trabalho até na hora de trepar. tipo, get a life.

esse último mês eu peguei um frila-pepino que foi muito gostoso de fazer mas muito corrido y estressante. trabalhava todo dia as minhas 8h de funcionário padrão na firma, mais 5h em casa, indo dormir tarde e elétrica, às vezes precisando de um auxílio rivotril.

fiquei pensando nas pessoas que têm isso como vida, que passam assim anos e anos a fio até que um problema de saúde as impeçam de continuar nesse ritmo. sério, dinheiro é massa e tal, mas eu prefiro ser pobre e ter tempo pra tomar uma cervejinha de vez em quando, ir ao cinema de vez em quando, ver minhas séries de vez em quando. ler um livro, né?

depilação, galera, faz 3 meses que não faço! e não é o casamento que faz isso não, eu é que fiquei sem tempo de ir num salão perder uma horinha da minha vida e ganhar unhas lindas e um bikini wax sarado. sempre tem uma prioridade, incrível. e eu tou muito triste com isso.

aí que passou esse frila e fica aquela sensação, né? trabalhar num coisa que você gosta é ótimo, mas eu não nasci pra respirar trabalho 24h por dia como muita gente tá acostumada. eu saio do trabalho e desligo, preciso ter esse momento senão eu entro em parafuso. talvez eu realmente seja uma pessoa desequilibrada emocionalmente pra não conseguir me enquadrar nesse perfil workaholic. que seja. antes isso do que ter minhas 8h de sono comprometidas por uns dólares a mais. e antes eu ganhasse em dólar, né?

não tou desempregada, maaans...

achei massa isso aqui:

quando eu tiver precisando de emprego, vou imitar a idéia. com um lettering mais tosco, craro.